Duelo de Banjos

*
Link permanente:___ http://wp.me/p1oMor-g2x
*
20130513_duelo_Banjos
*
Duelo de Banjos
*
CENA QUE MARCOU O FILME

O filme Amargo Pesadelo estava sendo rodado no interior dos Estados Unidos. O diretor fez a locação de um posto de gasolina nos confins do mundo, onde aconteceria uma cena entre vários atores contracenando com o proprietário do posto onde ele também morava com sua mulher e filho. Este último autista e nunca saía do terreno da casa.

A equipe parou no posto de gasolina para abastecer e aconteceu a cena mais marcante que o diretor teve a felicidade de encaixar no filme.

Num dos cortes para refazer a cena do abastecimento, um dos atores que sendo músico sempre andava acompanhado do seu instrumento de cordas aproveitando o intervalo da gravação e já tendo percebido a presença de um garoto que dedilhava um banjo na varanda da casa aproximou-se e começou a repetir a sequência musical do garoto.

Como houve uma ‘resposta musical” por parte do garoto, o diretor captou a importância da cena e mandou filmar. O restante vocês verão no vídeo.
Atentem para alguns detalhes:
– O garoto é verdadeiramente um autista;
– ele não estava nos planos do filme;
– A alegria do pai curtindo o duelo dos banjos… dançando
– A felicidade da mãe captada numa janela da casa;
– A reação autêntica de um autista quando o ator músico quer cumprimentá-lo.

Vale a pena o duelo, a beleza do momento e, mais que tudo, a alegria do garoto.

A sua expressão. No início está distante, mas, à medida que toca o seu banjo, ele cresce com a música e vai se deixando levar por ela, até transformar a sua expressão num sorriso contagiante, transmitindo a todos a sua alegria.

A alegria de um autista, que é resgatada por alguns momentos, graças a um violão forasteiro. O garoto brilha, cresce e exibe o sorriso preso nas dobras da sua deficiência, que a magia da música traz à superfície.

Depois, ele volta para dentro de si, deixando a sua parcela de beleza eternizada “por acaso” no filme “Amargo Pesadelo” (Ano: 1972).
*
Veja o vídeo. Click aqui. Grato
*
P.S: A música sempre foi e sempre será uma linguagem universal, capaz de unir até mundos diferentes.
Beijos e fraternais abraços de paz e luz!
*
Nelson Binotto de Paula
Taubaté-SP

Publicidades impactantes

*
Link permanente:___ http://wp.me/p1oMor-g0g
*
20130509_Publicidade
*
Publicidades impactantes
*
Comunicar – muitas vezes – implica em impactar!!!

Faça o download do PPS e veja as lindas mensagens.
Cilck aqui. Grato.
*
Colaboração:
Nelson Binotto de Paula
Taubaté-SP

Psicologia

*
Link permanente para esta mensagem:___ http://wp.me/p1oMor-eDC
Por favor, click sobre a imagem para ampliá-la. Grato.
*

*
Psicologia
*
Confrades, Salve!
O assunto psicologia envolve 100% do Ser Humano.
Você conhece o assunto?
O livro da ilustração contém 650 páginas… é de 1977.
De lá pra cá…muita coisa mudou sobre o entendimento do Ser Humano.
Você pode opinar?
Aguardo sua manifestação.
*
Fraternalmente,
Leal – aprendiz em todas as instâncias da Vida
Encarnado há 26380 dias. Obrigado Senhor!
* Pindamonhangaba-SP – Quinta-feira
* 11/out/2012 @ 08:33:34h

Feito a lápis

*
Link permanente para esta mensagem:___ http://wp.me/p1oMor-etJ
*

*
A Dama do Lápis
Feito a lápis
Maravilhosa apresentação.
Faça o download do PPT. Click aqui. Grato.
*
Colaboração:
Nelson Binotto de Paula
Taubaté-SP

Creche Frey Reinaldo Nieborg

*
Link permanente para esta mensagem:___ http://wp.me/p1oMor-dun
*

*
*

*
*
Creche Frey Reinaldo Nieborg
*
Tema: Educando as crianças
Palestra ministrada pelo Dr. Nelson Binotto de Paula
Professora: Andréa Fonseca Oliveira
Gestora de Unidade
Pindamonhangaba-SP
*
Só Alegria!
*

Quatro Pês

*
Link permanente para esta mensagem:___ http://wp.me/p1oMor-drA
*

*
Quatro Pês
*
Ontem fui agraciado com a feliz oportunidade de me reunir com os amigos de Taubaté:
João Batista Bonani e Nelson Binotto de Paula.
Aprendi muito com ambos.
Discutimos dois assuntos básicos:
a) Virtudes e
b) Evolução.
É impressionante o quanto não sabemos e quanto temos para aprender.
Nelson e Bonani, muito obrigado.
Fraternalmente,
Leal – aprendiz em todas as instâncias da Vida
*

O Lápis

*
Por favor, click sobre a imagem para ampliá-la. Grato.
Link permanente para esta mensagem:__ http://wp.me/p1oMor-dbx
Mensagem número # 5.805 – Sábado @ 20120225025419
Visitas recebidas de Março de 2011 à 25/02/2012 = 37.193
Por favor, você pode divulgar o blog?
Link: https://sinapseslinks.wordpress.com/
Contato: Leal, e-mail: sinapseslinks@gmail.com
Muito obrigado pela sua importante visita!
Seja Abençoado.
*
*

*
*
O Lápis
*
O menino observava seu avô escrevendo em um caderno, e perguntou:

– Vovô, você está escrevendo algo sobre mim?
O avô sorriu, e disse ao netinho:
– Sim, estou escrevendo algo sobre você. Entretanto, mais importante do que as palavras que estou escrevendo, é este lápis que estou usando. Espero que você seja como ele, quando crescer.O menino olhou para o lápis, e não vendo nada de especial, intrigado, comentou:- Mas este lápis é igual a todos os que já vi. O que ele tem de tão especial?- Bem, depende do modo como você olha. Há cinco qualidades nele que, se você conseguir vivê-las, será uma pessoa de bem e em paz com o mundo – respondeu o avô.

– Primeira qualidade: Assim como o lápis, você pode fazer coisas grandiosas, mas nunca se esqueça que existe uma “mão” que guia os seus passos, e que sem ela o lápis não tem qualquer utilidade: a mão de Deus.

– Segunda qualidade: Assim como o lápis, de vez em quando você vai ter que parar o que está escrevendo, e usar um “apontador”. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas ao final, ele se torna mais afiado. Portanto, saiba suportar as adversidades da vida, porque elas farão de você uma pessoa mais forte e melhor.

– Terceira qualidade: Assim como o lápis, permita que se apague o que está errado. Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente algo mau, mas algo importante para nos trazer de volta ao caminho certo.

– Quarta qualidade: Assim como no lápis, o que realmente importa não é a madeira ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro dele. Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você. O seu caráter será sempre mais importante que a sua aparência.

– Finalmente, a quinta qualidade do lápis: Ele sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, saiba que tudo que você fizer na vida deixará traços e marcas nas vidas das pessoas, portanto, procure ser consciente de cada ação, deixe um legado, e marque positivamente a vida das pessoas.
*
Colaboração:
Nelson Binotto de Paula
Taubaté-SP
*

Gustav Vigeland

*
*

*
*
Gustav Vigeland
*
O Parque Vigeland fica situado no Parque Frogner, em Oslo, Noruega… localizado a 3 km do centro da cidade e cobre uma área de 320.000 m2.

É constituido por 212 esculturas em bronze e granito, de autoria do escultor Gustav Vigeland. As esculturas materializam inerências da existência humana, como o trabalho, a ira, a maternidade, o sexo, a fraternidade e etc.

Na entrada principal do parque existem quatro grandes portões, que dão acesso a uma ponte, um obelisco, uma fonte e um playground. Na saída principal existe a escultura de quatro velhos levantando uma criança, que segundo Vigeland, é um simbolo de eternidade.
*
Faça o download do PPT. Click aqui. Grato.
*
Colaboração:
Nelson Binotto de Paula
Taubaté-SP
*

Camelos também choram

*

*
*
Camelos também choram
*
Primavera no deserto de Gobi, sul da Mongólia.
Uma família de pastores nômades assiste ao nascimento de filhotes de camelo.

A rotina é quebrada com o parto difícil de um dos camelinhos albinos.
A mãe, então, o rejeita.

O filho ali, branquinho, mal se sustentando sobre as pernas, querendo mamar e ela fugindo, dando patadas e indo acariciar outro filhote, enquanto o rejeitado geme e segue inutilmente a mãe na seca paisagem.

A família mongol e vizinhos tentam forçar a mãe camela a alimentar o filho. Em vão.

Só há uma solução, diz alguém da família. Mandar chamar o músico.E o milagre começou musicalmente a acontecer.

Dois meninos montam agilmente seus camelos, numa aventura até uma vila próxima, tentando encontrar o músico.

É uma vila pobre, mas já com coisas da modernidade, motos, televisão, e, na escola de música, dentro daquele deserto, jovens tocam instrumentos e dançam, como se a arte brotasse lindamente das pedras.

O professor de música, qual um médico de aldeia chamado para uma emergência, viaja com seu instrumento de arco e cordas para tentar resolver a questão da rejeição materna.

Chega. E ali no descampado, primeiro coloca o instrumento com uma bela fita azul sobre o dorso da mãe camela. A família mongol assiste à cena.

Um vento suave começa a tanger as cordas do instrumento. A natureza por si mesma harpeja sua harmônica sabedoria. A camela percebe. Todos os camelos percebem uma música reordenando suavemente os sentidos.

Erguem a cabeça, aguçam os ouvidos e esperam. A seguir, o músico retoma seu instrumento e começa a tocá-lo. A dona da camela afaga o animal e canta.

E, enquanto cordas e voz soam, a mãe camela começa a acolher o filhote, empurrando-o docemente para suas tetas. E o filhote, antes rejeitado e infeliz, vem e mama, mama, desesperadamente feliz.
Enquanto se alimenta e a música continua, acontece então um fato impressionante.

Lágrimas desbordam umas após outras dos olhos da mãe camela, dando sinais de que a natureza se reencontrou a si mesma, a rejeição foi superada, o afeto reuniu num todo amoroso os apartados elementos.
* * *
Nós, humanos, na plateia, olhamos estarrecidos. Maravilhados. Os mongóis em cena constatam apenas mais um exercício de sua milenar sabedoria.

E nós, que perdemos o contato com o micro e o macrocosmos, ficamos pasmos com nossa ignorância de coisas tão simples e essenciais.

Os antigos falavam da terapêutica musical. Casos de instrumentos que abrandavam a fúria, curavam a surdez, a hipocondria e saravam até a mania de perseguição.

O pensamento místico hindu dizia que a vida se consubstancia no Universo com o primeiro som audível – um ré bemol – e que a palavra só surgiria mais tarde.
E nós, da era da tecnologia, da comunicação instantânea, dos avanços científicos jamais sonhados… E nós? O que sabemos dessas coisas?

Coisas que os camelos já sabem, que os mongóis já vivem. Coisas dos sentimentos, coisas do coração. O que sabemos nós?
Será que sabíamos que os camelos também choram?
*
Redação do Momento Espírita com base em crônica de
Affonso Romano de Sant´anna, encontrada no
http://acaodopensamento.blogspot.com.
Em 25.04.2011
*
Colaboração:
Nelson Binotto de Paula
Taubaté-SP
*

Eu, Tu, Ele

*

*
*
Relacionamentos: Eu, Tu, Ele
*
EU
COMO EU ME RELACIONO,SE É QUE ME RELACIONO
QUAL A MINHA POSTURA PARA ME RELACIONAR E AO ME RELACIONAR
MEU RELACIONAMENTO…SOMA? OU DIVIDE E SEPARA.
E A MINHA HUMILDADE/TOLERÂNCIA/ACEITAÇÃO E CUIDADO VEM JUNTO?

TU
EXISTE ACEITAÇÃO?
VOCÊ QUER SE RELACIONAR COMIGO…EU QUERO ME RELACIONAR CONTIGO?
QUAL DE NÓS SERÁ RESPONSÁVEL PARA CUIDAR DA SAÚDE DA NOSSA RELAÇÃO.
NÓS SABEMOS QUE É DE AMBOS?
“O DESTINO COLOCA AS PESSOAS EM NOSSAS VIDAS E NÓS DECIDIMOS QUEM FICA.”

ELE
ESTÁ ABERTO PARA TODO E QUALQUER RELACIONAMENTO…
MAS NÓS QUEREMOS, QUANDO NECESSITAMOS “NINGUÉM VÊ BEM A DEUS SENÃO ATRAVÉS DE LAGRIMAS”
E A NOSSA FÉ…QUAL É O TAMANHO DELA?
NÓS ACREDITAMOS NOS VALORES DE NOSSOS IRMÃOS ?
RESPEITAMOS?
CRENÇAS E LIMITAÇÕES?
*
Autor:
Dr. Nelson Binotto de Paula
Taubaté-SP
*
Dê sua opinião, escreva-me:
Leal – aprendiz em todas as instâncias da Vida
sinapseslinks@gmail.com
Muito obrigado.
*