Páscoa, José Rufino Xavier

*

*
*
Páscoa, José Rufino Xavier
*
O jornal O Estado de S. Paulo do último dia dois de abril de 2011, publicou uma notícia impressionante: os técnicos que lutam em Fukushima para controlar o vazamento nos reatores da usina nuclear sabem que morrerão dentro em breve. Mesmo assim, continuam o trabalho!

Embora o grupo esteja sendo conhecido como os “50 de Fukushima”, são cerca de 300 pessoas, pois trabalham por turno, em regime de revezamento. A opinião pública japonesa já os considera heróis, chamando-os de “Samurais Atômicos”.

A atitude dos “50 de Fukushima”, contudo, não advém de mera resignação diante do inevitável. Eles certamente têm consciência de estar prestando um serviço à humanidade, fazendo o possível para evitar uma catástrofe nuclear. Mesmo tendo que, com isso, pagar o preço da própria vida.

Esse altruísmo nos lembra que o ser humano é chamado a ultrapassar-se, a romper os limites impostos pelos condicionamentos que cerceiam sua frágil existência. É vocacionado a comprometer-se para além de seus interesses pessoais e negócios particulares.

Impossível não pensar na trajetória de Jesus Cristo, cujo mistério pascal vamos reviver dentro de alguns dias, na Semana Santa. A minha vida, diz Jesus no evangelho de João, ninguém a tira, sou Eu quem a dou. “Para que todos tenham vida, e a tenham em abundância” (Jo.10,10).

FELIZ PÁSCOA a todos os educadores e educandos engendrados na luta por um outro mundo, possível, que ganha um aporte de esperança nessa data especial, que leva os homens a saberem que são capazes de se entregarem a um ideal maior do que eles mesmos, ao dedicarem-se a causas que beneficiam a humanidade e o planeta.
*
Colaboração:
José Rufino Xavier
São Paulo-SP
*