João de Barro

*
*
Por favor, click sobre a imagem para ampliá-la. Grato.
Link permanente para esta mensagem:___ http://wp.me/p1oMor-cFI
*
*

*
*
João de Barro
*
Sim!
A Mãe Natureza é quem nos ensina tudo.
Observar e procurar perceber as incontáveis mensagens que nos são passadas pelas manifestações da Mãe Natureza… é isto que nos compete!!!
O autor do PPT tirou mais de 600 fotos do sr. João de Barro e Esposa na maravilhosa tarefa da construção do ninho.
As imagens falam por si só.
Você conhece este assunto?
Pode dividir seu conhecimento?
Escreva-me: sinapseslinks@gmail.com
Muito obrigado.
Leal -71- aprendiz em todas as instâncias da Vida
*
Colaboração:
Antônio Amêndola
Serra Negra-SP
*
Download o PPT. Click aqui. Grato.

Anúncios

Disciplina

De: José Carlos Jotz
Para: Jose Jotz
Data: 05/10/2008 19:43
Assunto: Palestra disciplina
Anexos: DISCIPLINA.pps

Prezado(a) Amigo(a).
Estou encaminhando em anexo a palestra “Disciplina”, para meditamos sobre a necessidade que temos de perseverar no caminho escolhido, apesar das pedras que possam surgir pela frente.

Aproveito para lembrar aos moradores do Rio de Janeiro, que estarei na sua cidade dia 14.10.2008 (terça-feira) realizando o seminário “Saúde do Corpo: um Reflexo da Alma” na sede do Instituto FAO, Av. das Américas, 3434 Bloco 5 Sala 501 – Barra da Tijuca, das 19 às 22.30 h. As inscrições podem ser feitas pelo site http://www.josecarlosjotz.net.

No dia 09.11.2008 (domingo) às 15.30 horas, estarei em Porto Alegre, na Feira do Livro, autografando o livro “Espírito Saudável: Mente Sã e Corpo São”.

Um abraço fraterno e Muita Paz!
José Carlos Pereira Jotz

José Carlos Pereira Jotz
Benjamin Constant, 1130 conj. 404
Porto Alegre – RS – Brasil
Fone: 51.3343.5233

Conteúdo do PPS:

Disciplina
José Carlos Pereira Jotz

Com base no texto de
Luiz Gonzaga Pinheiro

Conta Marcel Souto Maior, no livro “As vidas de Chico Xavier” o primeiro encontro entre Emmanuel e Chico Xavier. Em 1931, enquanto rezava na beira da represa, teve sua conversa com Deus interrompida pela visita de uma cruz luminosa. Franziu os olhos e percebeu, entre os raios, a poucos metros, a figura de um senhor imponente, vestido com túnica típica de sacerdotes. O recém-chegado foi direto ao assunto.

– Está mesmo disposto a trabalhar na mediunidade?
– Sim, se os bons espíritos não me abandonarem.

– Você não será desamparado, mas para isso é preciso que trabalhe, estude e se esforce no bem.

– O senhor acha que estou em condições de aceitar o compromisso?
– Perfeitamente, desde que respeite os três pontos básicos para o serviço.

Diante do silêncio do desconhecido, Chico perguntou:
– Qual o primeiro ponto?

A resposta veio seca:
– Disciplina.
– E o segundo?
– Disciplina.
– E o terceiro?
– Disciplina, é claro.

DISCIPLINA é uma palavra de larga aplicação na vida. Podemos considerá-la uma virtude pessoal e intransferível, que adorna o espírito quando conquistada por aquisição, mas que pode violentá-lo quando por imposição.

A DISCIPLINA pode ser adequada ou inadequada, dependendo da situação daquele que a impõe e daquele que deve submeter-se a ela.

Quando Gandhi rebelou-se contra a política inglesa e estabeleceu a revolução pacifica da não-violência, foi taxado de indisciplinado pelos ingleses.

Mas exigiu, para consigo e seu povo, uma disciplina férrea de não agressão a seus opositores, nem por pensamento.

Assim, a DISCIPLINA tem direção e sentido, que devem ser coerentes na aplicação e justos na causa.

Autoritarismo não é sinônimo de DISCIPLINA. Aquele que tenta disciplinar utilizando normas despóticas e arbitrárias, é apenas prepotente, arrogante e tirano.

A DISCIPLINA deve ser ao mesmo tempo firme e dócil por quem emprega e enérgica e suave para quem a compreende.

DISCIPLINA não é sinônimo de castigo, mas de ordem e respeito aos objetivos propostos como meta por quem lhe adotou.

A DISCIPLINA deve ajustar-se às necessidades atuais de cada indivíduo, evoluindo com ele. Superadas as dificuldades e necessidades que a DISCIPLINA enfrentou, a mesma poderá mudar a sua atuação, acompanhando o ser em seu crescimento. Os pais precisam perceber que para cada filho há uma necessidade de DISCIPLINA diferente.

Quando se resolve ser espírita, tem-se invariavelmente um encontro marcado com a DISCIPLINA. Mesmo que não seja o “vigiai e orai”, estágio disciplinar mais avançado, o principiante espírita deverá sair da rotina do comodismo, para a conscientização de suas necessidades evolutivas.

Aos poucos ele vai descobrindo que na casa espírita os minutos revestem-se de maior significação, aproveitados no trabalho, no estudo doutrinário, no esclarecimento dos problemas existenciais, no fortalecimento da amizade, na gentileza ou nos afagos da caridade.

DISCIPLINA e CARIDADE formam o dueto maior atuando conjuntamente sob a orientação do bom senso. A DISCIPLINA não deve ser tão rígida que atropele a CARIDADE, e esta deve ser suficientemente racional para não descaracterizar a DISCIPLINA.
O indisciplinado é um fora da lei (Lei Divina) que precisa ajustar-se ao roteiro benéfico para ele criado, visando proporcionar-lhe os benefícios da paz.

Nenhum Espírito ingressa no mundo superior sendo indiferente à DISCIPLINA.

A DISCIPLINA precisa da AFETIVIDADE. Impor disciplina com gritos e ameaças (cumpridas ou não) revela desconhecimento do tema. O que se consegue obter desta forma é obediência ou colaboração, na maioria das vezes apenas representação. Na presença do ditador pode-se observar a revolta muda sob a máscara da obediência. Quando ele se afasta fica o desagrado e rebeldia.

A atitude de firmeza, serenidade e delicadeza é que levam a DISCIPLINA por aquisição. Ao iniciar a colaboração no processo disciplinar, o indivíduo, de livre vontade, assume o engajamento nas mudanças, despertando o espírito para as reformas interiores que se refletem nos comportamentos exteriores.

Quando Jesus mencionou a “porta estreita”, o “negar a si mesmo”, estava falando de quê? Não seria de RENÚNCIA, uma das velhas companheiras da DISCIPLINA? Para tomar a cruz aos ombros é urgente negar a si mesmo, reafirmando não o eu mundano, mas o eu divino, essência final da evolução.

Do espírita exige-se algo mais, que o retire da extensa lista dos acomodados: a DISCIPLINA. E ela se afirma no esforço de renovação, que deve ser feito a cada dia. É esse esforço que nos pacifica e rejuvenesce.

Disciplinemos nossas emoções para que elas não nos disciplinem.

Não esqueçamos nunca: saber dizer NÃO também consta da gramática do amor, no extenso capítulo da DISCIPLINA.

Para ter boa saúde é preciso disciplina.
Na mesa, na cama, na sala, na fala.
Disciplina ao respirar, disciplina ao pensar.
Disciplina no olhar, disciplina no tocar.

Pra poder evoluir é preciso disciplina.

Você pode ter acesso a outras palestras em power point diretamente no site:
http://www.josecarlosjotz.net
Música: Yanni
Bibliografia
Luiz Gonzaga Pinheiro. Disciplina http://www.omensageiro.com.br/artigos/artigo-37.htm
Marcel Couto Maior. As vidas de Chico Xavier. 27-29 – http://www.bitebook.com.br/26032002/00872.pdf

Sobre o autor das palestras:

José Carlos Pereira Jotz
Curriculo Profissional

– Formado em Arquitetura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em julho de 1985.
– Formado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em julho de 1992.
– Curso de Especialização em Homeopatia pelo CEPAH – SP de 1992 a 1995.
– Curso de Practitioner em Programação Neuro-Lingüística pelo Centro Sulbrasileiro de Programação Neuro-lingüistica – RS em 1994.
– Curso de Master Practitioner em Programação Neuro-Lingüística pelo Synapsis – SP em 1994.
– Curso de Hipnoterapia Ericksoniana pelo Instituto Milton H. Erickson Brasil Sul de 1997-1999.
– Título de especialista em Homeopatia pela Associaç
ão Médica Homeopática Brasileira em 2001.
– Professor de Homeopatia e Histologia pela Universidade Luterana do Brasil de 2002 a 2006.
– Mestrado em Ciências da Saúde: Cardiologia pela Fundação Universitária de Cardiologia / Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul em 2006.

Autoria desta compilação:
Eudison de Paula Leal
http://sinapseslinks.blogspot.com
ep-leal@uol.com.br
*