Bezerra de Menezes

*
Link permanente para esta mensagem:___ http://wp.me/p1oMor-ehd
*

*
Mensagem psicofônica de Dr. Bezerra de Menezes
*
“Filhos da alma. Abençoe-nos Jesus o Mestre inigualável.
Estes são dias tumultuosos, nada obstante recebestes as diretrizes do equilíbrio para fomentar a paz no seio da sociedade conturbada para fixarmos juntos os alicerces morais da era nova.

Ouvistes as lições que verteram do mais alto, através dos intérpretes da libertadora Doutrina dos Espíritos.

Esculpi essas lições no âmago dos vossos sentimentos e nunca temais o mal nem as artimanhas da crueldade.

Jesus vos assinala com as condecorações do testemunho para que todos saibam que sois seus discípulos.

Desafios e dificuldades fazem parte do cardápio existencial, no entanto, quando se abraça o ideal de enobrecimento é compreensível que esses sentimentos e provas apresentem-se volumosos.

No caso específico da Doutrina Espírita restaurando o Evangelho de Jesus no mundo é natural que experimentemos todos sofrimentos e aflições, conforme exarado por Ele de que no mundo somente isso experimentaríamos.

Mantende, porém a esperança, conservai a alegria inaudita de haverdes sido convidados a laborar na sua vinha no crepúsculo do dia e vos encontrardes firmes e conscientes fazendo o melhor para que a grande noite que se avizinha seja breve, dando lugar ao sublime dia da regeneração.

Nunca penseis que estais a sós, o Senhor segue a frente e os Seus emissários socorrem-vos amparando-vos, inspirando-vos e sustentando-vos nos momentos mais difíceis.

Lutai! No mundo e ante as suas paixões utilizando-vos dos sublimes instrumentos que traz no amor, não vos utilizando de quaisquer outras armas, senão dos recursos sublimes da compaixão, da misericórdia, da caridade.

Voltai aos vossos lares assinalados pela misericórdia do Senhor e experimentai a alegria por conhecerdes a verdade e conseguirdes incorporá-la aos vossos movimentos no corpo.

Deus os abençoe meus filhos e vos conduza em paz, são os votos dos Espíritos espíritas aqui presentes, através do servidor humílimo e paternal de sempre Bezerra.

Muita paz.”
Médium Divaldo P. Franco, 18/3/2012, Pinhais / PR.
*
Colaboração:
Dr. Luiz Carlos Formiga
Rio de Janeiro-RJ

A Casa e a Causa Espírita

*
Link permanente para esta mensagem:___ http://wp.me/p1oMor-dQL
*

*
A Casa e a Causa Espírita
*
Interessante notar que entre as palavras Casa e Causa a diferença é um simples U de União.

Mas, quem trabalha pela Causa Espírita conhece bem a dificuldade de se fazer entendido na Casa Espírita.

Há dirigentes que não divulgam eventos que se realizam em outros Centros Espíritas, pois com isto receiam perder freqüentadores de “sua” Casa.

A dificuldade encontrada por participantes dos órgãos de unificação para serem recebidos por algum diretor da Casa Espírita é muito grande, pois estão sempre ocupados em alguma atividade interna. As cartas enviadas, em sua grande maioria são ignoradas, pesquisas não são respondidas, dificilmente tem alguém para enviar às reuniões que tratariam de atividades em conjunto, é muito difícil delegar poder, se o presidente não puder comparecer, raramente indicará alguém.

Para entendermos a necessidade da União entre as Casas Espíritas e, por conseqüência, entre os espíritas, recorramos ao mestre, Allan Kardec. Do livro Obras Póstumas, no capítulo “Constituição do Espiritismo”, vemos a preocupação de Allan Kardec com os rumos do Espiritismo, vamos pinçar alguns pensamentos.

Para a pergunta se o Espiritismo estará preservado dos cismas.

Eis a resposta que nós dá: Não, certamente, porque terá, sobretudo no começo de lutar contra idéias pessoais, sempre absolutas, tenazes, refratárias a se amalgamarem com idéias de outrem. E terá de lutar contra a ambição dos que, a despeito de tudo se empenham por ligar seus nomes a uma inovação qualquer… Conseguintemente, seitas poderão formar-se ao lado da Doutrina, seitas que não lhe adotem os princípios ou todos os princípios, porém não dentro da Doutrina. É este o primeiro ponto de capital importância.O segundo ponto está em não sair das idéias práticas… Não atravanquemos a Doutrina de princípios que possam ser considerados quiméricos e fazer que a repilam os homens positivos. O terceiro ponto, enfim, é inerente ao caráter essencialmente progressivo da Doutrina.

No capitulo “O chefe do Espiritismo”, Kardec mostra a preocupação de se formar “uma direção central superior, guarda vigilante da unidade progressiva e dos interesses gerais da Doutrina”. Discorre nesta parte da impossibilidade de se ter um “escolhido” para esta função e conclui: “O problema é, pois, o de constituir-se uma direção central em condições, de força e estabilidade, que a ponham ao abrigo de todas as flutuações; que correspondam a todas as necessidades da causa e oponham intransponível barreira às tramas da intriga e da ambição”. “Em vez de um chefe único, a direção será confiada a uma comissão central permanente, cuja organização e atribuições se definam de maneira a não dar azo ao arbítrio”.Diz mais o codificador: hoje claramente demonstrada a Doutrina não podia sair de um único centro, completamente estruturada, da mesma maneira que toda a ciência astronômica não poderia sair de, inteiramente constituída, de um único observatório.Qualquer centro que tentasse erguê-la exclusivamente, sobre suas observações faria coisa incompleta e se acharia, com relação à infinidade de pontos, em contradição com outros. Se mil centros quisessem fazer cada um a sua doutrina, não haveria duas iguais em todos os pontos. Se estivessem de acordo quanto aos fundamentos, difeririam inevitavelmente quanto à forma.

Porque então a dificuldade da União?

Importa termos em mente que não somos deste ou daquele Órgão , desta ou daquela Casa Espírita, e sim estamos neste ou naquele órgão ou nesta ou naquela Casa Espírita, somos Espíritas todos nós, e a casa dividida torna-se ingovernável.

A recomendação do Espírito de Verdade é muito clara “Espíritas! Amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este o segundo” se não conseguirmos atender ao primeiro, de bem pouco nos valerá o segundo.

Deixamos agora uma citação de Bezerra de Menezes para que possamos refletir sobre o que cada um de nós está fazendo com a Doutrina Espírita: “Solidários, seremos união. Separados uns dos outros seremos pontos de vista. Juntos, alcançaremos a realização de nossos propósitos. Distanciados entre nós, continuaremos à procura do trabalho com que já nos encontramos honrados pela divina providência”.
*
Fonte: http://migre.me/9noGW
*

Bezerra de Menezes

Por favor, click sobre a imagem para ampliá-la. Grato.
Link permanente para esta mensagem:__ http://wp.me/p1oMor-dos
Mensagem número # 5.942 – Sábado @ 20120324025954
Visitas recebidas de Março de 2011 à 24/03/2012 = 41.911
Por favor, você pode divulgar o blog?
Link: https://sinapseslinks.wordpress.com/
Contato: Leal, e-mail: sinapseslinks@gmail.com
Muito obrigado pela sua importante visita!
Seja Abençoado.
*
*

*
*
Mensagem psicofônica de Dr. Bezerra de Menezes
*
Mensagem psicofônica de Dr. Bezerra de Menezes através do médium Divaldo Pereira Franco em 18 de março de 2012, no último dia da XIV Conferência Espírita do Estado do Paraná, realizado em Pinhais / PR.

“Filhos da alma. Abençoe-nos Jesus o Mestre inigualável.

Estes são dias tumultuosos, nada obstante recebestes as diretrizes do equilíbrio para fomentar a paz no seio da sociedade conturbada para fixarmos juntos os alicerces morais da era nova. Ouvistes as lições que verteram do mais alto, através dos intérpretes da libertadora Doutrina dos Espíritos.

Esculpi essas lições no âmago dos vossos sentimentos e nunca temais o mal nem as artimanhas da crueldade.

Jesus vos assinala com as condecorações do testemunho para que todos saibam que sois seus discípulos.

Desafios e dificuldades fazem parte do cardápio existencial, no entanto, quando se abraça o ideal de enobrecimento é compreensível que esses sentimentos e provas apresentem-se volumosos.

No caso específico da Doutrina Espírita restaurando o Evangelho de Jesus no mundo é natural que experimentemos todos sofrimentos e aflições, conforme exarado por Ele de que no mundo somente isso experimentaríamos.

Mantende, porém a esperança, conservai a alegria inaudita de haverdes sido convidados a laborar na sua vinha no crepúsculo do dia e vos encontrardes firmes e conscientes fazendo o melhor para que a grande noite que se avizinha seja breve, dando lugar ao sublime dia da regeneração. Nunca penseis que estais a sós, o Senhor segue a frente e os Seus emissários socorrem-vos amparando-vos, inspirando-vos e sustentando-vos nos momentos mais difíceis.

Lutai! No mundo e ante as suas paixões utilizando-vos dos sublimes instrumentos que traz no amor, não vos utilizando de quaisquer outras armas, senão dos recursos sublimes da compaixão, da misericórdia, da caridade.

Voltai aos vossos lares assinalados pela misericórdia do Senhor e experimentai a alegria por conhecerdes a verdade e conseguirdes incorporá-la aos vossos movimentos no corpo.

Deus os abençoe meus filhos e vos conduza em paz, são os votos dos Espíritos espíritas aqui presentes, através do servidor humílimo e paternal de sempre Bezerra.
Muita paz.”
*
Assista ao vídeo. Click aqui. Grato.
*
Colaboração:
Comunicação Espírita Taubaté
*

Bezerra de Menezes

*
Por favor, click sobre a imagem para ampliá-la. Grato.
Link permanente para esta mensagem:__ http://wp.me/p1oMor-d3k
Mensagem# 5.697 @ 20120206030213
Contato: Leal, e-mail: sinapseslinks@gmail.com
*
*

*
*
Mensagem de Bezerra de Menezes
*
Faça o download da mensagem PPS. Click aqui. Grato.
Leal
*
Colaboração:
Ana Joaquina Andrade
Blog: http://anajo2010.blogspot.com/
São Paulo-SP
*

Comunicação psicografada

*

*
*
Comunicação psicografada

Reunião mediúnica no Centro Espírita Internacional
Brasília, 19 de abril de 2010.

Comunicação psicografada por Divaldo Pereira Franco, de autoria espiritual de Bezerra de Menezes.

Irmãos amigos, devotados obreiros da seara de Jesus! Abraçando-os em nome dos trabalhadores do lado de cá, rogamos ao Mestre Amigo bênçãos de paz para todos.

Os novos tempos em transcurso no plano físico anunciam uma era de transformações necessárias à implementação do processo evolutivo do ser humano. Os dois planos da vida se irmanam e laços de solidariedade se estreitam, tendo em vista os acontecimentos previstos.

Em atendimento aos compromissos firmados por orientadores do Planeta, almas abnegadas se desdobram em atividades, definindo responsabilidades e tarefas a serem desenvolvidas em épocas específicas.

Não longe, porém, nas regiões purgatoriais de sofrimento que assinalam o perfil dos seus habitantes, no mundo espiritual, almas se agitam, movimentam-se, produzindo ruídos e clamores na expectativa de se beneficiarem, de alguma forma, com a programação que o Alto determina.

Desassossegados, temem as mudanças que já lhes foram anunciadas e, por não saberem ainda administrar emoções e desejos, dirigem-se às praças públicas e aos templos religiosos de diferentes interpretações para debaterem e opinarem: ora aceitam os ventos das mudanças, ora se rebelam, posicionando-se contra elas. Nesse processo, influenciam os encarnados que lhes acatam as opiniões vacilantes e, ao mesmo tempo, são por eles influenciados.

O certo é que a Humanidade chegou a um ponto de sua caminhada evolutiva que não mais se lhe permite retrocesso de qualquer natureza. Para os próximos cinqüenta anos já se delineia um planejamento destinado a ser cumprido por uma coletividade de Espíritos que irão conviver com grandes e penosos desafios.

Trata-se de uma população heterogênea constituída de almas esclarecidas e de outras em processo de reajuste espiritual. As primeiras revelam-se iluminadas pelo trabalho desenvolvido na fieira dos séculos, quando adquiriram recursos superiores de inteligência e de moralidade.

Retornam à reencarnação para exercer influência positiva sobre as mentes que se encontram em processo de reparação, necessitadas de iluminação espiritual.

A atual Humanidade será pouco a pouco mesclada por esses dois grupos de Espíritos reencarnantes. Inicialmente na sua terça parte, abrangendo todo o Planeta, depois, dois e três terços. O trânsito entre os dois planos estará significativamente acelerado. Um trânsito de mão dupla, acrescentamos, pois coletividades de encarnados também retornarão à Pátria verdadeira.

Anunciam-se, então, o processo renovador de consciências por meio de provações, algumas acerbas .

Uma operação de decantação que visa selecionar os futuros habitantes do Planeta, aqueles que deverão viver os alvores da Era da Regeneração.

A massa humana de sofredores, de Espíritos empedernidos, repetentes de anteriores experiências, retornará à gleba terrestre em cerca de cinqüenta anos, mas os guardiões da Terra estarão a postos, ao lado de cada encarnado ou desencarnado convocando-os á transformação para o bem.

É a Era do Espírito, anunciada a clarinadas na manhã do dia de ontem, 18 de abril de 2010, no momento em que o sol lançava os seus primeiros raios à Terra. Em região muito próxima ao plano físico, habitantes do Além quase que se fundiram com a humanidade encarnada para, em reunião de luz e vibração amorosa, ouvir o mensageiro de Jesus que lhes traçou as diretrizes de uma nova ordem planetária, que ora começa a se estabelecer.

Ismael falou emocionado para os representantes de todas as nacionalidades, logo após a manifestação clamorosa dos seus patronos e guias.

Revelou planos de Jesus relacionados à cristianização dos homens. Ao final da abençoada assembléia, Espíritos valorosos deram-se as mãos, envolvendo o Planeta em suas elevadas vibrações, transformadas em pérolas que caiam do alto sobre os seus habitantes, atingindo-lhes a fronte na forma de Serafina luminosidade.

Estejam, pois, atentos para os acontecimentos, meus filhos. Reflitam a respeito do trabalho que se delineia e, do posto de serviço onde se encontrem, sejam, todos e cada um, foco de luz, ponto de apoio.

Ouçam as vozes do céu, pois estão marcados pela luz dos guardiões planetários. Façam a parte que lhes cabem. Sejam bons, honestos, laboriosos, fraternos.

Os dias futuros de lutas e dores assemelham-se aos “ais” apocalípticos. Surgirão aqui, acolá e mais além, implorando pela união, compaixão e misericórdia, individual e coletiva.

Assim, irmãos e amigos, não cometam o equívoco de olhar para trás, mas coloquem as mãos na charrua do Evangelho e sigam adiante.

Não repitam a experiência a mulher de Ló, o patriarca hebreu que, possuidora de fé frágil, olhou para trás em busca dos prazeres perdidos, transformando-se em estátua de sal, desiludida pela aridez das falsas ilusões.

Façam brilhar a própria luz, meus filhos! Este é o clamor do Evangelho, hoje e sempre!…

Bezerra
*
Colaboração:
Edna Sbrissa
São Paulo-SP
*
Publicado em: SinapsesLinks
https://sinapseslinks.wordpress.com/
*
Conheça também:
http://sinapseslinks.blogspot.com/
*
Download do documento em PDF. Click aqui.
*