Educação

*
Por favor, click sobre a imagem para ampliá-la. Grato.
Link permanente para esta mensagem:__ http://wp.me/p1oMor-d4m
Mensagem# 5.711 @ 20120208162223
Contato: Leal, e-mail: sinapseslinks@gmail.com
*
*

*
*
Educação

Lenita Maria Costa de Almeida

Educação é um assunto que tem começo mas não tem fim.
São vários os caminhos de abordagem, cada qual levando o leitor a finalizações diferenciadas.

Na atualidade e da metade do século passado para cá, poderíamos dizer que o advento do computador, gerou muita polêmica, em se tratando da sua aplicação no campo educativo, mas essa tecnologia veio para ficar.

Kevin Kelly, da revista ”World” rebate críticas à era da informática.
“Kelly sustentou que o cataclisma previsto por Sale (colapso econômico global, guerra com ricos e pobres e desastre ambiental) para 2020 não acontecerá’ Kevin é um dos otimistas tecnológicos.
Sua revista promove uma geração de profissionais emergentes ligados à computação.
Diz outro especialista – Neil Postman – que os problemas da revolução tecnológica são mais complexos do que a destruição das máquinas. Parafraseando Aldous Huxley,”não será preciso banir livros, porque ninguém vai querer ler.” “Isso é o pior que pode acontecer com o revolução tecnológica . Isso é preocupação. Quebrar os computadores seria falta de tempo e energia.. As pessoas não terão consciência de que estão sendo manipuladas. Aceitarão passivamente a expansão sem limites da tecnologia, porque terão perdido o direito de pensar.”
Essa reportagem foi publicada na Folha de S.Paulo em 12-11-95-cad.1 fls. 17/18

O bom de se consultar o “velho“ é melhor para refletir sobre o “novo” .
Não é preciso procurar provas da expansão tecnológica. Ela está aí e nós, querendo lançar nossos olhares sobre um futuro, que, nem sabemos se chegará, para melhor educar nossas crianças.

A verdade é que o ganho mercenário vem tomando proporções nunca antes imaginadas. Palavras como globalização, que podem remeter ao poder local
e às suas consequências da nossa dívida externa. Na verdade é um global que agrega também poderes municipais e federais, no trato de nossa dívida externa global.

A Transnacional – no meu entendimento – é , de certa forma, pior do que a globalização. A Transnacional instala sua empresa em determinado lugar. Se impostos ou outros que tais não lhe agradem, fecha a fábrica, despede os empregados e vai instalar-se onde melhor lhe convier. Daí a grande pergunta: educar para que ou para quem?

O estresse bate feio na cabeça dos pensadores. O momento é de muita reflexão, não só pelos intelectuais, mas reflexivo também para nós, alvos de tanta ousadia para benefício próprio.

O quadro exposto é alicerce para meditar. Remete para um fazer reflexivo. Esboça as perspectivas atuais para a educação.

Quando se fala em perspectiva, fala-se também em tomar um certo distanciamento do objeto que se quer analisar, para que a visão seja mais ampla, com mais oportunidade de acerto.

Por muito que pesquisasse não encontrei em parte alguma, referências à educação
num campo real e verdadeiro – o da alma. Como contribuir com a educação para conscientizar os educandos de que somos feitos de carne, osso e espírito? Como a própria tecnologia pode olhar, ou melhor, criar seus inventos pensando o homem como criatura humana, que urge crescer e não ficar à mercê dos “brinquedinhos tecnológicos“ que, fazem do homem o reducionismo de si mesmo, envolvido nos novos instrumentos tecnológicos. São técnicas que envolvem a pessoa com sedutor encantamento e o subtrai da verdade. Sem a ferramenta do seu próprio cérebro, completamente robotizado, como agirá a pessoa na corrente da vida, se não for perguntar ao computador?

Observo que as igrejas de todos os credos se multiplicam. Lendo nas entrelinhas, vejo nessa movimentação social um grito de ajuda, buscando Jesus de todas as formas, como o único Salvador nessa rinha de galos em que se tornou nosso mundo.

Perspectivas atuais da Educação
Moacir Gadotti

Anúncios

Obrigado Senhor!

*
Por favor, click sobre a imagem para ampliá-la. Grato.
Link permanente para esta mensagem:__ http://wp.me/p1oMor-d4h
Mensagem# 5.710 @ 20120208031510
Contato: Leal, e-mail: sinapseslinks@gmail.com
*
*

*
*

Jornal “O Espírita”

*
Por favor, click sobre a imagem para ampliá-la. Grato.
Link permanente para esta mensagem:__ http://wp.me/p1oMor-d4d
Mensagem# 5.709 @ 20120208030852
Contato: Leal, e-mail: sinapseslinks@gmail.com
*
*

*
*
Jornal “O Espírita” 192
*
Amigo visitante, Salve!
Conheça a nova edição do importante Jornal.
Faça o download em PDF. Click aqui. Grato.
*
Colaboração:
João Batista Bonani
Taubaté-SP
*

Deixai secar primeiro

*
Por favor, click sobre a imagem para ampliá-la. Grato.
Link permanente para esta mensagem:__ http://wp.me/p1oMor-d45
Mensagem# 5.707 @ 20120208024759
Contato: Leal, e-mail: sinapseslinks@gmail.com
*
*

*
*
Deixai secar primeiro
*
Contam que Carlyle, o célebre historiador escocês, quando ainda era muito moço, teve uma questão bastante grave com um dos seus companheiros. Um dia, sentindo-se insultado, declarou que ia imediatamente exigir satisfações daquele que o havia ofendido.

Um velho professor, informado do caso, aproximou-se de Carlyle e
disse-lhe:

Meu caro amigo. Tenho longa experiência de vida e conheço as consequências tristes dos atos impetuosos.

Um insulto é como a lama que cai em nossa blusa. A lama pode ser retirada facilmente, com uma simples escova, quando já está seca.

Deixe secar primeiro. Não seja apressado. Espere até que se acalme, e verá como tudo será facilmente resolvido.

Carlyle aceitou o conselho do professor, e o resultado foi tão feliz que, no dia seguinte, o colega que o insultara veio lhe pedir desculpas.

Malba Tahan, nesta rica passagem, vem nos dizer que, dada a grande diversidade de temperamentos e caracteres humanos, não nos é possível viver em paz com o próximo, sem refrearmos a ira, e insistirmos na prática da mansidão.

Nenhuma resolução sadia pode ser tomada com ímpeto.

Às vezes, numa ação impensada, numa reação violenta, podemos comprometer séculos e séculos de nossas existências.

Alguns segundos de invigilância, permitindo que um pequeno ato de vingança se externe, pode gerar um compromisso imenso para o futuro, através da Lei de causa e efeito, que prevê a colheita obrigatória de tudo aquilo que livremente plantamos.

Vale a pena esperar. Vale a pena o esforço de conter um impulso naquele momento em que o nervosismo procura reinar.

Contar até dez. Tomar um banho frio. Fazer uma oração, pedindo auxílio a Deus. Parar tudo que estamos fazendo e refletir para não reagir sem pensar.

Vale a pena o esforço. Vale a pena ter calma.

Se algum dia você for vítima de uma violência, não revide.

Quando receber injúrias, não procure se defender atacando.

Se for caluniado, não acumule ódio e ressentimento em sua alma.

Sabemos que é difícil compreender, perdoar, ainda, mas precisamos começar, precisamos desenvolver esta virtude em nossos corações.

Os maiores beneficiados com isso seremos nós mesmos, pois deixaremos de ser depósitos de sentimentos impuros, desequilibrados, que insistem em nos fazer infelizes.

Deixe secar primeiro.
*
Colaboração:
Iolanda Carneiro
Botucatu-SP
*