Arraiá da Fraternidade

*
Por favor, click sobre a imagem para ampliá-la. Grato.
*

*

*
*
Arraiá da Fraternidade

Festa dos Corações!
A ADC Confab realizou este evento para beneficiar muitas Entidades que ajudam as Crianças.
Festa maravilhosa! Reuniu mais de 4.000 pessoas
Sucesso Total!
Gesto maravilhoso!
Corações Nobres!
Sejam todos os idealizadores e realizadores, Abençoados!
Exercício real da Fraternidade!
Parabéns!
*
Amigo visitante, caso seja de seu interesse lhe enviarei o CD-ROM comemorativo… muitas fotos!
Escreva-me:
sinapseslinks@gmail.com
Leal -71- aprendiz em todas as instâncias da Vida
*

Anúncios

Palestra no Francisco de Assis

*
*

*

*
*
Palestra Realizada:
Há muitas Moradas na Casa do Pai
Palestrante: Benedito Adilson da SIlva
Grupo Vocal: Anália Franco
Pindamonhangaba-SP
*
Linda palestra!
Dividida em duas partes: Científica e Religiosa.
Na primeira a análise minuciosa da evolução da Humanidade ao longo dos milênios.
Na segunda parte a análise do legado de Jesus, no livro o Evangelho Segundo o Espiritismo, seu significado e a veracidade das afirmações do Mestre dos Mestres.
Muito tempo foi investido no preparo desta palestra, muitos livros pesquisados.
*
Benedito, nós te pedimos: Continue!
Já estamos aguardando a sua segunda palestra.
*
Faça o download do PPS. Click aqui. Grato.
*

Ser chique!

*
*

*
*
SER CHIQUE SEMPRE

Nunca o termo “chique” foi tão usado para qualificar pessoas como nos
dias de hoje.

A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas.

Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas.
Muito mais que um belo carro Italiano.

O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.

Chique mesmo é ser discreto.

Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.

Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.

Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuaçõe inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta.

É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.

Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador.

É lembrar-se do aniversário dos amigos.

Chique mesmo é não se exceder jamais!

Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.

Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor.

É “desligar o radar”, “o telefone”, quando estiver sentado à mesa do restaurante, prestar verdadeira atenção a sua companhia.

Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.

Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite!

Chique do chique é não se iludir com “trocentas” plásticas do físico… quando se pretende corrigir o caráter: não há plástica que salve grosseria, incompetência, mentira, fraude, agressão, intolerância, ateísmo…falsidade.

Mas, para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo,vamos todos terminar da mesma maneira, mortos sem levar nada material deste mundo.

Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não lhe faça bem, que não seja correta.

Lembre-se: o diabo parece chique, mas o inferno não tem qualquer glamour!

Porque, no final das contas, chique mesmo é Crer em Deus!

Investir em conhecimento pode nos tornar sábios… mas, Amor e Fé nos tornam humanos!

GLÓRIA KALLIL
Colaboração:
Iolanda Carneiro
Botucatu-SP
*
Sobre este mesmo tema…
“A verdadeira beleza”
Faça o download do PPS. Click aqui. Grato.
Colaboração:
Daniela Marchi
Araçatuba-SP
*

Na instrumentalidade

*
*

*
*

Na instrumentalidade

http://wp.me/p1oMor-tE

Cada companheiro de serviço cristão deveria considerar-se instrumento nas mãos do Divino Mestre, a fim de que a sublime harmonia do Evangelho se faça irrepreensível para a vitória completa do bem.

Todavia, se a ilimitada sabedoria do Celeste Emissor se mantém soberana e perfeita, os receptores terrenos pecam por deficiências lamentáveis.

Esse tem fé, mas não sabe tolerar as lacunas do próximo.

Aquele suporta cristâmente as fraquezas do vizinho, contudo, não possui energia nem mesmo para governar os próprios impulsos.

Aquele outro é bondoso e confiante, mas foge ao estudo e à meditação, favorecendo a ignorância.

Outro, ainda, é imaginoso e entusiasta, entretanto, escapa sutilmente ao esforço dos braços.

Um é conselheiro excelente, no entanto, não santifica os próprios atos.

Outro retém brilhante verbo na pregação doutrinária, todavia, é apaixonado cultor de anedotas menos dignas com que desfigura o respeito à revelação de que é portador.

Esse estima a castidade do corpo, mas desvaira-se pela aquisição de diheiro fácil.

Outro, mais além, conseguiu desprender-se das posses de ouro e terra, casa e moinho, mas cultiva verdadeiro incêndio na carne.

É indiscutível a nossa imperfeição de seguidores da Boa Nova.

Por isso mesmo, guardamos o título de aprendizes.

O Planeta não é paraíso terminado e achamo-nos, por nossa vez, muito distantes da angelitude.

Todavia, obedecendo ou administrando, ensinando ou combatendo, é indispensável afinar o nosso instrumento de serviço pelo diapasão do Mestre, se não desejamos prejudicar-lhe as obras.

Evitemos a execução insegura, indistinta ou perturbadora, oferecendo-lhe plena boa vontade na tarefa que nos cabe, e o Reino Divino se manifestará mais rapidamente onde estivermos.
*
Colaboração:
Antonio Roberto Vieira
São Paulo-SP
*
Publicado em: SinapsesLinks
https://sinapseslinks.wordpress.com/
*