Noite do Caldinho

*

*
*
Noite do Caldinho
*
Campanha do Cobertor
Casa do Caminho Pinda
Dia 17 junho 2011
*
Adquira os ingressos pelo telefone.
Muito obrigado.
Gigi e Morel
*

Anúncios

Acidente Vascular Cerebral

*
*

*
*
Acidente Vascular Cerebral
*

Estava em casa e havia acabado de acordar as 05:30 hrs da manhã.

Eu podia garantir que estava bem, pois tinha me alimentado corretamente no dia anterior e dormido bastante.

Levantei normalmente as 06:00hrs, fiz alongamentos, imediatamente um pouco atordoado para tomar banho, para trabalhar e tentando desfrutar daquele belo dia 29-06-2010 – terça feira.

Logo, estranhamente estava tonto, não conseguia mais ter firmeza, equilíbrio físico e vocal, caí. Voltei a deitar e pedi que me furasse os dedos e me levassem com brevidade ao hospital. Havia sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral) ironicamente ao acordar.

Se eu não soubesse reconhecer um AVC – meu próprio AVC, que ironia – talvez hoje estivesse morto ou paraplégico.

Uma agulha pode salvar a vida de um paciente com princípios de derrame…, garantido por um médico chinês e dito por uma professora chinesa.
Eu posso ser uma prova viva.

Guarde uma seringa ou uma agulha para fazer isto – é um método inconvencional para recuperar alguém de um derrame.

Quando um derrame estiver a ocorrer fique calmo.

Independentemente de onde a vitima estiver, não a mova do lugar. Quando o derrame acontece, as veias capilares no cérebro vão-se gradualmente rompendo. Se a pessoa for movida os capilares vão se romper.

Se tiver na sua casa uma seringa.
Se não tiver, pode usar uma agulha de costura ou um alfinete.

1. Esterilize, no fogo ou com álcool ou anti-séptico a agulha ou alfinete e depois dê uma furada em todos os dedos das mãos do paciente.

Não há pontos específicos nos dedos para a acupuntura, mas pode picar 1 milímetro perto da unha.

2. Pique até o sangue começar sair.
Se o sangue não começar a sair, então aperte com os dedos.

3. Quando todos os dedos começarem a sangrar, espere alguns minutos e depois puxe as orelhas do paciente até ficarem vermelhas.

4. Pique cada um dos lóbulos das orelhas até começar a sair uma gota de sangue de cada lóbulo. Depois de alguns minutos a pessoa começará a recuperar os sentidos.

Espere até que recupere o estado normal e leve-o para o hospital.

Se for levado às pressas para o hospital, a viagem turbulenta vai fazer com que os vasos capilares no cérebro se rompam.

‘Eu aprendi a tirar gotas de sangue para salvar vidas através de um médico de medicina tradicional chinesa. Ele chama-se Ha Bu Ting. Mais tarde tive experiência prática sobre o assunto e posso dizer que este método é 100% eficaz pois, aconteceu comigo.

Meu nome é Marcelo P Barbosa.

Lembre-se também dos “3” Passos:

Leia e aprenda!
Atualmente os médicos estabeleceram uma regra para reconhecê-lo mediante três simples perguntas:

1. Peça que a pessoa SORRIA.

2. Peça que a pessoa LEVANTE AMBOS OS BRAÇOS.

3. Peça que a pessoa PRONUNCIE UMA FRASE SIMPLES (Coerente)
(por exemplo . . . Hoje está um dia ensolarado)

Se ele ou ela apresentar dificuldades numa destas três questões, chame imediatamente o SOCORRO e descreva os sintomas.

Reconhecer um AVC

Um neurologista afirma que se o chamarem dentro das primeiras 3 horas, os efeitos de um AVC podem ser revertidos totalmente. Afirma que é crucial diagnosticá-lo e prestar assistência ao paciente nas três horas subsequentes.

Depois de descobrir que um grupo de voluntários que não são médicos podem identificar a debilidade facial, a debilidade motora dos braços e a debilidade na fala, os investigadores apelam ao público em geral para que aprenda estas três perguntas. Uma maior divulgação deste teste pode facilitar um rápido diagnóstico e tratamento do AVC e evitar danos cerebrais.
*
Colaboração:
Maria Christina Camargo Leal
Pindamonhangaba-SP
*
Publicado em: SinapsesLinks
https://sinapseslinks.wordpress.com/
*
Para obter texto em PDF: Click aqui.
*

Con Cariño

*

*
*
Con Cariño
*
El destino une y separa a las personas,
pero no existe ninguna fuerza que sea tan grande
que haga olvidar a las personas
que, por algún motivo,
algún día nos hicieron felices”…

Hay un momento en la vida que tú sabes
quien es importante para tí,
quien nunca lo fué,
quien ya no lo es
y quien lo será siempre.
*
Colaboração:
Glorinha Nunes
Brasília-SP
*

Chico Xavier

*

*
*
Concurso Maior Brasileiro de Sempre – Fase Final

O concurso Maior Brasileiro de Sempre está na reta final e em breve o ganhador finalmente será conhecido pelo público.

Nesta etapa, os 10 candidatos disputam o título que será divulgado no início de Julho de 2011. A iniciativa de lançar o concurso foi do dramaturgo brasileiro Aguinaldo Silva.
Confira o resultado parcial de 19/05/2011:

Para votar acesse o link. Click aqui.
*

Preciso de você

*

*
*
Preciso de você

A ERA CIBERNÉTICA TRANSFORMOU A SOCIEDADE MODERNA, MAS, PARADOXALMENTE, AO CONTRÁRIO DO QUE PARECE, NA ERA VIRTUAL, A PRESENÇA FÍSICA DO OUTRO É AINDA MAIS FUNDAMENTAL

A jornalista me pergunta impressionada a razão de novas pesquisas constatarem que, contrariamente ao que muitos esperavam, o povo da internet cada vez mais associa seus passeios na rede com a necessidade de estar junto.

Esse fato relativiza as críticas morais que bradam ameaçadores avisos anunciando que o mundo estaria perdido, pois a WWW (World Wide Web) seria uma teia perigosíssima que estaria aprisionando nossa pobre juventude, em um isolacionismo narcisista e emburrecedor.

Essa notícia chega ao mesmo tempo em que o papa se precipita em condenar um aplicativo para smart-phones, por meio do qual o fiel antenado se confessaria on-line, sem a necessidade de se ajoelhar na madeira dura de um confessionário escurecido por muitos pecados ali penitenciados. Ao menos dessa vez, ufa!, o papa mostrou que “tá ligado”, pois a web não substitui a presença física.

Na mesma vertente, podemos falar da repetitiva pergunta se é possível fazer análise por Skype, ou serviço semelhante, sem ter de se preocupar com o terrível trânsito das grandes cidades, bem como se garantir em ter seu analista à mão, ou melhor, na tela, entre um mergulho e outro, em uma ilha paradisíaca, do outro lado do mundo.

Não dá.
Há um quê na presença física que é insubstituível.

E se dizemos “um quê” é exatamente pelo fato de não podermos precisar o que é isso da presença física que não sabemos traduzir em nenhum idioma e por nenhum meio, razão pela qual não a podemos substituir, pois, como celebrou Michel Foucault: “a palavra é a morte da coisa“; se falamos de algo, substituímos o algo pela palavra e não precisamos mais dele.

Em um mundo que quebrou os paradigmas cartesianos de espaço e tempo, jogando-nos no furacão do ilimitado sem fronteiras, não há nada a estranhar na necessidade da presença física do outro, do corpo do outro, do seu enigma, do cheiro, cor, som, movimento, textura, olhar, que não sabemos traduzir em bytes.

Esse enigma do outro é o remédio para a angústia tão atual, por nos termos visto transformar em habitantes de lugar nenhum.

Seis mil moças e moços geeks se acotovelaram por uma semana, em São Paulo, em uma festa chamada Campus Party. Seis mil! Em um pavilhão de exposições. É tão importante estarem juntos, que um nipo-brasileiro, morando ao lado do local da festa, trocou o conforto de seu quarto por uma tendinha de campanha, verdadeiro elogio do desconforto.

A presença do outro nos remete ao mais essencial de nós mesmos.

Se fôssemos honestos, parodiando Vinícius, jamais diríamos expressões do gênero: “no meu íntimo”. E isso porque o que nos escapa é exatamente o nosso íntimo. Diríamos, melhor, como Lacan: “no meu êxtimo”, sim, porque o meu íntimo me é tão estranho – quem já passou por uma análise sabe bem o que estou descrevendo – que melhor chamá-lo de êxtimo, clara alusão ao estranho e ao externo de si mesmo, que habita cada um.

Podemos nos livrar de muita coisa na vida, mas não da gente mesmo, em especial desse ponto íntimo desconhecido, promotor de nossas paixões, essa força estranha vivida na sensação do “mais forte que eu”. A presença física do amigo, do amado, do familiar, do próximo, nos reconecta com esse ponto fundamental, âncora de nossas existências, ponto transcendente de nossa imanência, se quisermos nos valer do discurso da Academia.

Nesse mundo de aparente “tudo pode”, e de “em tudo estou”, não por isso devemos nos assustar que ao lado do aumento dos acessos aos meios virtuais, vejamos crescer em paralelo os lugares de encontro físico, sejam eles campus parties, igrejas, consultórios, bares, cruzeiros. Os motivos são variados e o que neles se realiza, também, mas a necessidade é uma só: estar junto. Na era da pós-modernidade, onde o laço social das identificações é predominan- temente horizontal, nos damos conta que o principal afeto, o mais fundamental afeto, é o da amizade.

Cada pessoa precisa de alguém que a ajude a chamar o seu êxtimo, de meu íntimo…
*
Autor:
Jorge Forbes é psicanalista e médico psiquiatra. É Analista Membro da Escola Brasileira de Psicanálise (A.M.E.), preside o IPLA – Instituto da Psicanálise Lacaniana e dirige a Clínica de Psicanálise do Centro do Genoma Humano da USP.
Site: http://www.jorgeforbes.com.br/
*
Fonte:
Revista Psique
Ano VI número 63
http://psiquecienciaevida.uol.com.br/ESCV/
*
Publicado em SinapsesLinks:
https://sinapseslinks.wordpress.com/
*
Nota do Leal:
Desde o início do meu blog, 21julho2006, ênfase tem sido dada à Amizade!!!
Amigo e Amiga visitantes deste blog, te dedico esta mensagem.
Fraternalmente,
Leal – aprendiz em todas as instâncias da Vida
*
Texto disponível em PDF. Click aqui. Grato.
*

A Fé Divina e a Fé Humana

*

*
*

A fé humana e a divina

12. No homem, a fé é o sentimento inato de seus destinos futuros; é a consciência que ele tem das faculdades imensas depositadas em gérmen no seu íntimo, a princípio em estado latente, e que lhe cumpre fazer que desabrochem e cresçam pela ação da sua vontade.

Até ao presente, a fé não foi compreendida senão pelo lado religioso, porque o Cristo a exalçou como poderosa alavanca e porque o têm considerado apenas como chefe de uma religião. Entretanto, o Cristo, que operou milagres materiais, mostrou, por esses milagres mesmos, o que pode o homem, quando tem fé, isto é, a vontade de querer e a certeza de que essa vontade pode obter satisfação.

Também os apóstolos não operaram milagres, seguindo-lhe o exemplo? Ora, que eram esses milagres, senão efeitos naturais, cujas causas os homens de então desconheciam, mas que, hoje, em grande parte se explicam e que pelo estudo do Espiritismo e do Magnetismo se tornarão completamente compreensíveis? A fé é humana ou divina, conforme o homem aplica suas faculdades à satisfação das necessidades terrenas, ou das suas aspirações celestiais e futuras.

O homem de gênio, que se lança à realização de algum grande empreendimento, triunfa, se tem fé, porque sente em si que pode e há de chegar ao fim colimado, certeza que lhe faculta imensa força.

O homem de bem que, crente em seu futuro celeste, deseja encher de belas e nobres ações a sua existência, haure na sua fé, na certeza da felicidade que o espera, a força necessária, e ainda aí se operam milagres de caridade, de devotamento e de abnegação.

Enfim, com a fé, não há maus pendures que se não chegue a vencer.

O Magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação. É pela fé que ele cura e produz esses fenômenos singulares, qualificados outrora de milagres.

Repito: a fé é humana e divina.

Se todos os encarnados se achassem bem persuadidos da força que em si trazem, e se quisessem pôr a vontade a serviço dessa força, seriam capazes de realizar o a que, até hoje, eles chamaram prodígios e que, no entanto, não passa de um desenvolvimento das faculdades humanas.
Um Espírito Protetor. (Paris, 1863.)
*
Livro Fonte:
O Evangelho Segundo o Espiritismo
Capítulo XIX
*
Texto disponível em PDF. Click aqui.
*