Música

*

Quando a música salvou uma vida…

O restaurante, geralmente apinhado de gente em busca de distração, naquele dia estava vazio. Talvez porque fosse final do mês, época de pouca circulação de dinheiro, ou então porque o tempo permanecia nublado avisando que a chuva não tardaria. Enfim, a realidade é que se encontravam no local apenas o músico, contratado para distrair os fregueses e, naturalmente, os garçons e cozinheiras. Portanto, nada de clientes.
O músico, mesmo sem a platéia para aplaudir começou seu show, a fim de alegrar seus colegas: garçons e cozinheiras.
Eis que atraído pela melodia do violão do artista surge um senhor e senta-se à mesa, passando a acompanhar o repertório de músicas.
No começo, tímido, apenas ouve. No entanto, após alguns minutos, contagiado pelos embalos agradáveis do violão o solitário freguês inicia sua cantoria. Batuca com o palito de dentes, repete refrões e, empolgado, ensaia alguns passos.
As horas transcorrem neste compasso, com o solitário freguês entregue à sublime arte da música.
Eis que o músico executa a derradeira melodia e o solitário cliente debulha-se em lágrimas. Emocionado, dirige-se ao encontro do artista e lhe dá efusivo abraço, agradecendo:
— Meu amigo, hoje você salvou minha vida. Eu estava desanimado e pensava em uma forma de colocar fim à existência, todavia, ao escutar sua música resolvi entrar, e sua arte contagiou-me de tal forma que me sinto mais leve, sem o peso da angustia a me dilacerar o coração. Obrigado por me ajudar a sair do clima mental perturbado que eu estava. Agora as idéias estão mais claras e percebi que os problemas devem ser encarados de frente e o suicídio não é a melhor maneira de resolvê-los.
O artista, olhos marejados pelo relato agradeceu ao solitário freguês por ter compartilhado sua história e partiu feliz, na certeza de ter cumprido o objetivo maior da música: encher de esperança o carente coração humano.

A arte é a mais bela forma de manifestação da criatura humana. A música é uma arte, logo, está inserida no contexto das maravilhas de nossas capacidades.
Portanto, não é de se estranhar que a suave melodia do artista tenha restituído à esperança a um coração combalido pelas agruras da existência.
Eis, pois, um ótimo remédio para quando estivermos desanimados: música. Música de qualidade, suave, bela, terna a representar as maravilhas da vida e a sublime ligação com a espiritualidade. Música que salva vidas e desperta o ser humano para brilhar nos palcos do mundo.
A música de qualidade é o antídoto contra a violência. Imagine, caro leitor, se todas as vezes em que houver discussão no lar você convidar seu cônjuge para ouvir a incomparável ORAÇÃO DA FAMÍLIA, de padre Zezinho. Ao invés do revide, da palavra áspera, traiçoeira e impulsiva, vem a música serena e tranqüila cantando as glórias da convivência fraterna. Não tenho dúvidas, será uma revolução social!
A arte por intermédio da música pode, além de salvar vidas, estabelecer a paz. Se você está desanimado a pensar que a vida não vale a pena, recorra à música. Se está irritado, recorra à música. Somos sensíveis à música, essa arte milenar que por bondade divina alegra e entusiasma a existência humana é uma das mais importantes ferramentas para levantar nosso astral.
Pensemos nisso.

Wellington Balbo
Blog: http://wellingtonbalbo.blogspot.com/
*

Seus Dias

*

Seus dias são marcas no caminho evolutivo…

Sua conversação dirá das diretrizes que você escolheu na vida.
Suas decisões. nas horas graves, identificam a posição real de seu espírito.
Seus gestos, na luta comum, falam de seu clima interior.
Seus impulsos definem a zona mental em que você prefere movimentar-se.
Seus pensamentos revelam suas companhias espirituais.
Suas leituras definem os seus sentimentos.
Seu trato pessoal com os outros esclarece até que ponto você tem progredido.
Suas solicitações lançam luz sobre os seus objetivos.
Suas opiniões revelam o verdadeiro lugar que você ocupa no mundo.
Seus dias são marcas no caminho evolutivo.

Não se esqueça de que compactas assembléias de companheiros encarnados e desencarnados conhecem-lhe a personalidade e seguem-lhe a trajetória pelos sinais que você está fazendo.
*
Colaboração:
Fernando Gomes de Souza
*