Livros Espíritas, download

*

Livros Espíritas, download

Alguns livros e disponíveis à todos pelo site da Holus.
Os livros são de Domínio Público, muitos estão fora de catálogo.
Já estão no ar.

Holus: http://www.holuseditora.com.br/downloads.html

Relação dos arquivos para download:

ARQUIVOS • Estatuto e Regimento Interno do Grupo Espírita Ramatis – Lages, SC

LIVROS – Obras de Domínio Público para Estudo e Pesquisa

• Alan Kardec – O Livro dos Espíritos
• Alan kardec – O Livro dos Médiuns
• Alan kardec – O Evangelho Segundo o Espiritismo
• Alan kardec – A Gênese
• Alan kardec – O Céu e o Inferno
• Alan kardec – O que é Espiritismo?
• Alan kardec – Obras Póstumas

• André Luiz – Nosso Lar
• André Luiz – Os Menageiros
• André Luiz – Missionário da Luz
• André Luiz – Obreiros da Vida Eterna
• André Luiz – No Mundo Maior
• André Luiz – Libertação
• André Luiz – Entre a Terra e o Céu
• André Luiz – Nos Domínios da Mediunidade
• André Luiz – Ação e Reação
• André Luiz – Evolução em Dois Mundos
• André Luiz – Mecanismos da Mediunidade
• André Luiz – Sexo e Destino
• André Luiz – E a Vida Continua

• Alexandre Aksakof – Animismo e Espiritismo
• Alexandre Aksakof – Um Caso de Desmaterialização

• Antônio J. Freire – Da Alma Humana – “em breve”

• Dante Alighieri – A Divina Comédia

• Ernesto Bozzano – Animismo ou Espiritismo?
• Ernesto Bozzano – Pensamento e Vontade
• Ernesto Bozzano – Enigmas da Psicometria
• Ernesto Bozzano – Cinco Excepcionais Casos de Identificação de Espíritos
• Ernesto Bozzano – Metapsíquica Humana
• Ernesto Bozzano – A Crise da Morte
• Ernesto Bozzano – Fenômenos Psíquicos no Momento da Morte
• Ernesto Bozzano – O Espiritismo e as Manifestações Psíquicas
• Ernesto Bozzano – Comunicações Mediúnicas entre Vivos
• Ernesto Bozzano – Fenômenos de Bilocação (Desdobramento)
• Ernesto Bozzano – O Espiritismo e as Manifestações Supranormais

• Gabriel Dellane – A Reencarnação
• Gabriel Dellane – A Alma é Imortal
• Gabriel Dellane – A Evolução Anímica
• Gabriel Dellane – O Espiritismo Perante à Ciência
• Gabriel Dellane – O Fenômeno Espírita

• Léon Denis – Cristianismo e Espiritismo
• Léon Denis – Depois da Morte
• Léon Denis – Espíritos e Médiuns
• Léon Denis – Catecismo Espírita
• Léon Denis – No Invisível
• Léon Denis – O Além e a Sobrevivência do Ser
• Léon Denis – O Grande Enigma
• Léon Denis – O Porquê da Vida
• Léon Denis – Síntese Doutrinária – Prática do Espiritismo
• Léon Denis – O Probelma do Ser, do Destino e da Dor
• Léon Denis – O Mundo Invisível e a Guerra
• Léon Denis – O Espiritismo e as Forças Radiantes
• Léon Denis – O Espiritismo e o Clero Católico
• Léon Denis – O Progresso
• Léon Denis – O Gênio Céltico e o Mundo Invisível

VÍDEOS • Discovery Science – Reencarnação
*
Colaboração:
Alba Regina – São Paulo-SP
Maria Christina Camargo Leal – Pindamonhangaba-SP
*

Maria Alice Campos Freire

*

“CONSELHO DAS TREZE AVÓS NATIVAS”

Cura e Paz para o Planeta
Palestra e Vivência – Dia 03 de junho, às 19h30, na UMAPAZ

No outono de 2004, treze mulheres nativas de todo o mundo se encontraram no estado de Nova Iorque e concordaram em formar uma aliança. Declararam: “NÓS, O CONSELHO INTERNACIONAL DAS TREZE AVÓS NATIVAS, representamos uma aliança de prece, educação e cura para nossa Mãe Terra, todos seus habitantes, todas as crianças, por sete gerações. Conscientes da destruição sem precedentes de nossa Mãe Terra e dos povos nativos; acreditamos que os ensinamentos dos nossos ancestrais iluminarão nosso caminho pelo futuro incerto. Procuraremos aumentar nossa visão através de projetos protetores de nossas várias culturas: terras, medicinas, línguas e cerimoniais de prece, através de projetos para educar e nutrir nossas crianças”.

América do Norte, Itália, Espanha, México, África, Índia foram alguns dos locais por onde já passaram. Em 2006 foram especialmente recebidas pelo Dalai Lama em Daramsala, e entregaram mensagem ao Papa em 2008. Está prevista a vinda do Conselho ao Brasil em 2010.

No dia 03 de junho, às 19h30, na Semana do Meio Ambiente, a brasileira Maria Alice Campos Freire, membro do Conselho Internacional das Treze Avós Nativas, estará na UMAPAZ para focalizar esse projeto planetário e também expor sua experiência de vida como ativista socioambiental, educadora e pesquisadora da medicina da floresta.

Maria Alice nasceu em 1953 no Rio de Janeiro. Trabalhou na Guiné-Bissau, de 1977 a 79, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), utilizando seus conhecimentos de educadora a serviço da saúde. No Rio de Janeiro, realizou projetos de educação-saúde nas favelas Morro São João e Morro do Encontro, criando farmácias vivas (jardins medicinais), cartilhas sobre a saúde do povo, etc.

Desde 1989 vive em uma pequena comunidade no interior da Floresta Amazônica, onde sua pesquisa vem se aprofundando tanto na área do conhecimento das plantas, quanto no desenvolvimento das terapias e processos de manipulação dos remédios. Atualmente, dedica-se à pesquisa da dinamização homeopática de plantas amazônicas e sua experimentação, no quadro de ações do Centro de Medicina da Floresta.
*
SERVIÇO: PALESTRA E VIVÊNCIA
CONSELHO DAS TREZE AVÓS NATIVAS – Cura e Paz para o Planeta
Data: 03 de junho, às 19h30 – PEDE-SE CHEGAR COM 15 MINUTOS DE ANTECEDÊNCIA
Local: UMAPAZ –
Av. IV Centenário, 1268 – Portão 7-A – Parque do Ibirapuera – SP/SP
PARTICIPAÇÃO GRATUITA – NÃO É NECESSÁRI0 INSCREVER-SE
*
Colaboração:
Maria Christina Camargo Leal – Pindamonhangaba-SP
*

Espírito José Grosso

*

E-mail de Álvaro Basile Portughesi

De: Álvaro
Para: Leal

Querido Amigo Leal, toda notícia sobre o nosso irmão José Grosso vem acompanhada por
suave perfume chamado Fraternidade, e pelas luzes sublimes que possuem a Chancela do Cristo!
Obrigado por esses Presentes!
Abraços,
Alvaro
*
José Grosso:
http://www.jornaldiadia.com.br/jdd/index.php?option=com_content&view=article&id=11604:-mediuns-celso-de-almeida-afonso-e-paulo-neto-em-tres-lagoas&catid=57:religiao&Itemid=80
*

Internet Kingdom

*

Obama terá “ciberczar” para “guerras virtuais”

Novo cibercomando conduzirá operações defensivas e ofensivas contra “computadores inimigos’; nome ainda não foi escolhido.

Casa Branca vê ameaça cibernética como desafio de segurança nacional e estima que ação de hackers tenha custado US$ 8 bi em 2 anos

ANDREA MURTA
DE NOVA YORK

Após dizer que as redes digitais dos EUA são “bens nacionais estratégicos”, o presidente Barack Obama anunciou ontem a criação de um departamento específico na Casa Branca para ação em “guerras virtuais”. O órgão será coordenado por um “ciberczar”, cujo nome ainda não foi selecionado.

O novo cibercomando conduzirá não apenas operações de segurança mas também ofensivas contra “computadores inimigos”. Membros do governo não quiseram detalhar as potenciais operações ofensivas, mas afirmaram ver o ciberespaço como algo comparável a campos de batalha tradicionais.

Obama disse que tecnologias virtuais já são usadas em conflitos reais. “No ano passado, vislumbramos a próxima face da guerra. Enquanto tanques russos entravam na Geórgia, ciberataques prejudicaram sites do governo georgiano; os terroristas que semearam tanta morte e destruição em Mumbai se apoiaram não apenas em armas e granadas, mas também em sistemas GPS e telefones que usavam voz pela internet.”
*
Jornal Folha de São Paulo – 30/05/09A14
*
Texto completo:
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/ft3005200901.htm
*
=========================
Aos Visitantes Confrades:
Contemporâneos Encarnados;
Contemporâneos Desencarnados,
*
Pensemos!
1)
Jesus nos ensinou e ensina:
“Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”.
2)
Na prece da irmã de Cáritas diz sobre as “forças do mal que tentam dominar o mundo”.
3)
Todas as experiências nucleares já vividas e a serem vividas pela Humanidade colocaram e colocam em evidência o “VEO”, ou seja:
a Vaidade, o Egoísmo e o Orgulho.
4)
Espíritas:
Proporcionalmente, nós os Espíritas, somos uma pequeníssima parcela da Humanidade. Pequena parcela, mas importante no seu significado Moral.
5)
Apelo:
Você Espírita! Está convidado a criar seu blog ou site ou ambos para dar divulgação da Doutrina Redentora.
Esta Doutrina que promove, amorosamente, a Reforma Íntima.
É necessário e importante ocuparmos o espaço da Mídia Internet com os Magnos Ensinamentos de Jesus o Cristo.
Façamos a nossa parte!
*
Fraternalmente,
Eudison de Paula
Leal
Pindamonhangaba-SP
ep-leal@uol.com.br
http://sinapseslinks.blogspot.com/
http://bauruonline.ning.com/profile/EudisondePaulaLeal
*

Vida após a morte

*

Vida após a morte será tema de tese na PUC de São Paulo

Manoel Fernandes Neto

O assunto não tem nada a ver com religião, apesar de falar de vida após a morte.

Sonia Rinaldi há mais de 20 anos pesquisa o assunto e prepara-se para um desafio hercúleo: levar para um ambiente totalmente cético algo que comumente é tratado com crença. Ela vai defender, a partir deste ano, uma tese de mestrado na PUC – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, intitulada “Transcomunicação: Interconectividade entre Múltiplas Realidades e a Convergência de Ciências para a Comprovação Científica da Comunicabilidade Interplanos”, com a qual pretende comprovar que após a morte do corpo físico a consciência sobrevive.

Essa consciência, segundo Sonia, classificada de vários nomes, mantém sua individualidade, história, aquisições morais e intelectuais, além de ter capacidade de comunicação com o mundo da matéria. Atualmente, como uma das coordenadoras do Instituto de Pesquisas Avançadas em Transcomunicação Instrumental, Sonia passa seus dias conectando aparelhos de gravação de áudio e vídeo, buscando contato com o que convencionamos chamar de “o outro lado da vida”.

Para a pesquisadora, o fato deste tipo de abordagem adentrar o mundo acadêmico é uma conquista que só será percebida no futuro, mas que trará benefícios para toda a Humanidade: “É chegada a hora de sair da infância e encarar a realidade da nossa evolução contínua.”, diz Sonia.

Acompanhe a entrevista exclusiva concedida por Sonia Rinaldi ao editor da NovaE.

Após 20 anos de pesquisa, como a ciência clássica, baseada em conceitos da matéria, vem encarando o seu trabalho?

A Ciência, de forma ampla, está longe de se interessar. Uns tantos cientistas mundo a fora vêm trabalhando no sentido de documentar a realidade da sobrevivência após a morte. Porém, quer nos parecer que nenhum fenômeno é mais concreto – e, portanto, suscetível de toda sorte de análises e investigação, como requer a Ciência – do que a Transcomunicação Instrumental – ou seja, a comunicação com o Outro Lado da Vida através de gravações em computador e vídeo. Este ano de 2009 traz uma nova rota para nossa pesquisa, pois inicio Mestrado na PUC – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, justamente para levar a Transcomunicação ao meio acadêmico, coisa que jamais ocorreu na História. Veremos, daqui a uns anos, o que teremos conseguido.

Como foi o processo de aprovação de sua tese de mestrado, sobre este assunto tão avesso ao mundo acadêmico?

Chegaram a me chamar na PUC para eu mudar minha tese, mas não aceitei. Tenho premência em conduzir a pesquisa conforme a proposta, pois minha tese não será simples – propus uma mega-tese multidisciplinar, pois já considerei o fato de que eu, sozinha, seria inapta para comprovar qualquer coisa. Propus a participação de engenheiros, físicos e matemáticos – todos com doutorado, para que sejam eles que avaliem, dentro dos parâmetros requeridos pela Ciência, que o fenômeno é real. A minha parte é levantar a ocorrência do fenômeno – a deles será endossar a autenticidade e – dentro das possibilidades –, tentar explicá-lo.

Quem serão os maiores beneficiados com a comprovação científica da sobrevivência após a morte?

A meu ver, a própria Humanidade, que deixará de se enganar. É como se fosse chegada a hora de sair da infância e encarar a realidade da nossa evolução contínua.

Você pode explicar aos nossos leitores, em sua maioria, leiga neste assunto, o que seria a hipótese “sobrevivencialista” em contraposição à hipótese “psi”?

Quem é a favor da sobrevivência após a morte vê a coisa como sendo o ser humano composto de um corpo e uma alma, ou espírito. Na morte do corpo físico, esse espírito ou consciência, prosseguiria na jornada. Esse é o ponto de vista dos espiritualistas. Já uns tantos parapsicólogos acham que os fenômenos paranormais não são resultado de uma intervenção espiritual, mas sim, produto da própria mente de quem produz o fenômeno. No caso da Transcomunicação, exaustivamente essa segunda hipótese fica descartada, por uma série de fatores que não arrolaremos para não nos estendermos. Mas sumarizamos dizendo que as Vozes que gravamos falam de coisas que ninguém sabia, dão nomes de pessoas, cidades de origem, etc., que o transcomunicador nunca ouviu falar. Filhos falecidos mencionam peculiaridades que só a família sabe, etc. Não há a menor possibilidade de ser produto da mente de alguém. Necessariamente, os contatos mostram que estamos em contato com seres que já partiram.

Como são realizadas suas experiências de gravação? Qual é sua rotina de pesquisadora?

Agora, com o Mestrado, tudo girará em função disso, e as gravações serão feitas para que os cientistas que participarão da tese possam ter mais e mais elementos de estudo. Fora disso, vou continuar dando uma aula por mês de como gravar para as pessoas interessadas.

Nos workshops realizados por você, como as pessoas têm reagido ao contato com entes que se foram? Na mesma linha desta questão, a saudade e a necessidade de um contato não podem prejudicar uma análise racional?

Em todos os cursos (workshops) que damos, todos obtêm resultados de seus falecidos e aprendem a gravar. Não há como comprometer a interpretação, porque, ou a resposta está lá ou não está. Nossas gravações há anos são bem claras… não deixam margem de dúvida ou permita dúbia interpretação. Se a gravação/resposta não for clara, será descartada.

Quando se fala em vida após a morte, as pessoas fazem logo uma conexão com religião, que, no sentido clássico, vai na contramão da pesquisa científica. Como você lida com isto?

Religião que se esconde atrás de dogmas e não respeita a lógica deve estar com os dias contados. A globalização e o avanço tecnológico despertaram a racionalidade, e a visão setorizada tende a mudar. Ou algo é “verdade” ou não merece crédito. E tudo que é “verdade” tem que ser passível de análise e investigação. Há de chegar o tempo em que o ser humano dispensará supostas leis divinas, sejam lá quais forem, que não passem pelo crivo da lógica racional.

Considerando a hipótese sobrevivencialista, quais as diferenças deste contato em relação à psicografia, já que as gravações captam pequenas frases, às vezes com uma estrutura gramatical inversa, bem diferente dos livros mediúnicos, que são verdadeiros tratados, romances, com estruturas complexas…

A diferença fica por conta de que tudo que não pode ser matematicamente investigado, fica excluído do interesse da Ciência. Até hoje, centenas de médiuns têm dado importante contribuição no sentido filosófico e social; porém, fica fora da possibilidade da comprovação da realidade disso. Já no caso da Transcomunicação, qualquer “alô!” vem com um peso incontestável diante dos olhos de um cientista. Por isso, penso que a Transcomunicação Instrumental é o veiculo mais poderoso para comprovar que se vive depois da morte, além, claro, de levar consolo a milhares de pessoas que sofrem com a perda de alguém querido.

Matéria publicada na Revista Novae, em 18 de abril de 2009.
*
Colaboração:
Antônio Amêndola – São Paulo-SP
*

Dr.Içami Tiba

*

Dr.Içami Tiba

Palestra ministrada pelo médico psiquiatra Dr. Içami Tiba, em Curitiba, 23/07/08.

O palestrante é membro eleito do Board of Directors of the International Association of Group Psychotherapy. Conselheiro do Instituto Nacional de Capacitação e Educação para o Trabalho “Via de Acesso”. Professor de cursos e workshops no Brasil e no Exterior.

Em pesquisa realizada em março de 2004, pelo IBOPE, entre os psicólogos do Conselho Federal de Psicologia, os entrevistados colocaram o Dr. Içami Tiba como terceiro autor de referência e admiração – o primeiro nacional.
· 1º- lugar: Sigmund Freud;
· 2º- lugar: Gustav Jung;
· 3º- lugar: Içami Tiba.

1. A educação não pode ser delegada à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.

2. O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo. Não se pode castigar com internet, som, tv, etc…

3. Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados.

4. É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.

5. Informação é diferente de conhecimento. O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona.

6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais. Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai determinar que não haverá um passeio, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente.

7. Em casa que tem comida, criança não morre de fome . Se ela quiser comer, saberá a hora. E é o adulto quem tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer.

8. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender.

9. É preciso transmitir aos filhos a idéia de que temos de produzir o máximo que podemos. Isto porque na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio: não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.

10. As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer. E o prazer é inconsequente.

11. A gravidez é um sucesso biológico e um fracasso sob o ponto de vista sexual.

12. Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está são, mas é dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para fazer uso da droga . A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. Deve ‘abandoná-lo’.

13. A mãe é incompetente para ‘abandonar’ o filho. Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.

14. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo.

15. Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.

16. Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se for mal na faculdade.

17. Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite. Nunca.

18. Muitas são desequilibradas ou mesmo loucas. Devem ser tratadas. (palavras dele).

19. Se a mãe engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que engolir também.

20. Videogames são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade, mostrar que na vida real não existem ‘vidas’, e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.

21. Professor tem que ser líder. Inspirar liderança. Não pode apenas bater cartão.

22. Pais e mães não pode se valer do filho por uma inabilidade que eles tenham. ‘Filho, digite isso aqui pra mim porque não sei lidar com o computador’. Pais têm que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível pagarem para falar com o filho que mora longe.

23. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.

24. Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família.

25. Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.

26. Dinheiro ‘a rodo’ para o filho é prejudicial. Mesmo que os pais o tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.
Frase: “A mãe(ou o pai!) que leva o filho para a igreja, não vai buscá-lo na cadeia…”
*
Colaboração:
Maurício do Carmo Souza – Pindamonhangaba-SP
*

Sexualidade

*

Um lugar para beijar

—————————————————
[…] A SEXUALIDADE ESTÁ ENTRE AQUELAS QUE MAIS NOS INCOMODAM E CONSTRANGEM DE TODAS AS DIMENSÕES HUMANAS
————————————————–
Assisti na semana passada, no cine Olido (com próxima exibição no cine Bombril), ao documentário “Um Lugar para Beijar”, dirigido pela jornalista Neide Duarte e produzido pelo departamento de DST/ Aids da Secretaria de Saúde do município de São Paulo. O filme tem finalidade institucional nas ações de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e mostra a vida e as condições de homossexuais (e de travestis e transexuais) na periferia de São Paulo.

No fim da exibição, vi pessoas chocadas. Uma delas disse que sentia-se contaminada por aquilo que sempre tentou manter à distância. O que pensou que não existisse poderia estar ao lado, disfarçado. Ela contou estar com a sensação de perda de confiança em seu mundo. Acredito, porém, que ela tenha perdido a inocência ou a ilusão da normalidade.

A gente se acostuma com os cantos por onde anda e com as pessoas com quem convive, com nossas condições de vida e valores. A gente se acostuma com os próprios costumes e vai cultivando, assim, uma espécie de cegueira. Não vê que a vida é múltipla, irregular, e que os homens são criaturas que protagonizam novidades infinitas.

O que para a sociedade padronizada é aberração, desvio e imoralidade é apenas a experiência cotidiana de muitos. No entanto, quando condenada e entregue ao ocultamento, fica deformada e ameaçadora. No documentário, é a homossexualidade de moradores da periferia que está em foco. Mas ela não é desdenhada nem recriminada. Ela é o que é.

Também não é vista sob o olhar comum e preconceituoso que a faz ser lugar de muitos dos problemas sexuais da atualidade. A heterossexualidade, aceita pela sociedade, é também lugar de incontáveis desvios. É só nos lembrarmos de casos como o do austríaco que manteve a filha encarcerada por 20 anos e teve com ela vários filhos. Ou dos inúmeros casos de abusos sexuais de meninas por pais e padrastos ou de violências contra a mulher. Casos que, mais do que desvios, são crimes.

Mas não sou especialista em sexualidade nem pretendo teorizar sobre ela. O que me instiga são as perguntas que o documentário trouxe e nossas reações diante do sexo. A sexualidade, em qualquer uma de suas formas (bi, hetero, homo, trans), está entre aquelas que mais nos incomodam e constrangem de todas as dimensões humanas. Ou entre as que mais nos atraem. Por quê?

Numa cultura que nos faz acreditar que atos e palavras podem ser escolhidos pela razão, as questões sexuais nos desmentem e desorientam. Diante da aparente autonomia do sexo, ficamos perplexos, do mesmo modo que são Paulo se espantava diante da impotência de sua vontade: “Por que faço o mal que não quero e não faço o bem que quero?”.

Somos um problema para nós mesmos quando afetados por uma dimensão da vida humana assim contundente e provocativa. Ficamos desarrumados em nossa moralidade, desafiados e desautorizados em nossos princípios e preceitos.
*
DULCE CRITELLI, terapeuta existencial e professora de filosofia da PUC-SP, é autora de “Educação e Dominação Cultural” e “Analítica de Sentido” e coordenadora do Existentia – Centro de Orientação e Estudos da Condição Humana

dulcecritelli@existentia.com.br
*
Original:
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/equilibrio/eq2805200901.htm
*
Publicado em: SinapsesLinks
http://sinapseslinks.blogspot.com/
*

Chavuot

*

Chavuot

SHAVUOT, celebrado dias 06 e 07 do mês de SIVAN,(este ano nos dias 29 e 30 de maio de 2009), é a festividade da colheita dos primeiros frutos e a comemoração do recebimento das Tábuas da Lei.

Devido o sentido religioso, isto é, porque recorda a revelação da TORÁ, também é conhecida com o nome de ZMAN MATÁN TORATEINU, e por tratar-se, igualmente, de uma festa agrícola, que marca o fim da colheita e a oferenda das primícias, chamam-na também de CHAG HABIKURIM

SHAVUOT é festejado pelos judeus, com muito orgulho, porque se sentem mensageiros dos sábios ensinamentos Divinos e herdeiros do Livro Sagrado, a TORÁ.

Todos os povos civilizados acabaram por reconhecer e aceitar em sua grande parte, o Decálogo dado por Deus à Moisés e à seu povo. Este é o fundamento de todas as grandes religiões monoteístas. Cabe ao povo de Israel a grande glória de haver transmitido os DEZ MANDAMENTOS ao mundo inteiro.
*
Colaboração:
Ricardo Leão – São Paulo-SP
*

Câncer de Pele e Rins

*

Câncer de Pele e Rins

de: Erda Nemitz
para: Eudison de Paula Leal
data: 27 de maio de 2009 18:44

Boas notícas são para partilhar

Já existe vacina anti-câncer (pele e rins). Foi desenvolvida por cientistas médicos brasileiros, uma vacina para estes dois tipos de câncer, que mostrou-se eficaz, tanto no estágio inicial como em fase mais avançada.

A vacina é fabricada em laboratório utilizando um pequeno pedaço do tumor do próprio paciente. Em 30 dias está pronta, e é remetida para o médico oncologista do paciente.
Nome do médico que desenvolveu a vacina: José Alexandre Barbuto
*
Hospital Sírio Libanês – Grupo Genoma.
Telefone do Laboratório:0800-7737327
(falar com Dra. Ana Carolina ou Dra. Karyn, para maiores detalhes)
Site: http://www.vacinacontraocancer.com.br
*
Isto é algo que precisa ser repassado.
Alguém pode estar precisando!
Por favor, divulguem esta vitória da medicina genética brasileira!
*

Cientistas Espíritas

*

Cientistas Espíritas
Willian Crookes sábio inglês e pesquisador de grande acuidade realizou durante os anos de 1870 a 1873, experiências, que se tornaram clássicas, com a médium extraordinária que foi Florence Cook; as mais completas do gênero demonstraram à sociedade que os fantasmas voltam e se tornam visíveis, tangíveis e examináveis, de modo a não deixar dúvidas quanto à imortalidade do Espírito e sua possibilidade de comunicação com os vivos. O Espírito Katie King deu a Crookes todas as oportunidades de exame, sério e cercado de todas as cautelas, de comprovação de sua imortalidade, mediante métodos rigorosamente científicos.

Frederico Zollner, notável físico alemão, utilizou-se, em 1877, de outro grande médium do passado, Henry Slade e, agindo como verdadeiro homem de ciência, que era, conseguiu extraordinários fenômenos de materialização, de transporte, de levitação e de escrita direta. Para explicar fenômenos de penetração da matéria pela matéria, imaginou uma quarta dimensão, característica dos seres que habitam o mundo invisível, ou dos Espíritos.

Willian Crawford é outro nome da Ciência, professor do Instituto Técnico e da Universidade de Belfast, que a história das pesquisas psíquicas apontará, um dia, como dos seus mais destacados e competentes cultores. A levitação de objetos foi estudada por ele com extremos cuidados e, graças aos componentes do “Círculo Goligher”, grupo de médiuns de que se destacava a senhorita Kathlen Goligher, pôde comprovar a formação de uma alavanca formada por ectoplasma – o cantilever, de que se valeriam os Espíritos para fazer levitarem objetos pesados (mesas etc.).
Depois de estafantes experiências realizadas entre 1916 e 1920, Crawford, diz René Sudre, “suicidou-se no dia 30 de julho de 1920, durante um acesso de febre cerebral, devido ao esgotamento profissional e às condições criadas pela guerra”.
Terminamos esta ligeira e incompleta citação de sábios, que se ocuparam com os fenômenos espíritas pelo nome glorioso de

Ernesto Bozzano, em cuja autobiografia confessa: “Nunca fiz outra coisa senão estudar.” Bozzano trabalhou, como sabemos, com a grande Eusápia Paladino, a extraordinária médium italiana, que lhe proporcionou a observação de numerosos fenômenos de efeitos físicos. É inestimável a contribuição de Ernesto Bozzano ao estudo da Ciência espírita. São numerosas as obras, todas esplêndidas, que escreveu, a respeito, muitas traduzidas para o Português:o
FENÔMENOS DE TRANSPORTE,
A CRISE DA MORTE, FENÔMENOS PSÍQUICOS, PENSAMENTO E VONTADE, ENIGMAS DA PSICOMETRIA,
XENOGLOSSIA, ANIMISMO OU ESPIRITISMO?, METAPSÍQUICA HUMANA, COMUNICAÇÃO MEDIÚNICAS ENTRE VIVOS, MATERIALIZAÇÕES DE ESPÍRITOS etc.

Friedrich Zöllner, professor de Física e de Astronomia na Universidade de Leipzig, ao lado de William Edward Weber, professor de Física, de Scheibner, professor de matemática e de Gustave Theodore Fechner, professor de Física e filosofia naturalista, se declararam “perfeitamente convencidos da realidade dos fatos observados (com o médium Henri Slade), e de que aí não havia nem impostura nem prestidigitação”.

Doutor Gustave Geley, professor da Faculdade de Medicina de Lyon, estudou o ectoplasma e os fenômenos de materializações. Obteve moldagens de cera, impossíveis de serem reproduzidas por outro processo e que estão conservadas no Instituto Metapsíquico International em Paris.

Charles Richet, professor da Faculdade de Medicina de Paris, prêmio Nobel de Fisiologia e autor do “Tratado de Metapsíquica”, participou nas experiências de Geley e naquelas da Comissão de Milão em 1892, com Cesare Lombroso, antropologista professor na Faculdade de Medicina de Turin, Alexander Aksakof, sábio russo conselheiro do kzar, e Carl du Prel, filósofo de Munich. Trouxe com ele, em 1894, a médium Eusapia Paladino, em companhia de Oliver Lodge, médico inglês, e de Frederic Myers. Este último chegou à conclusão de que a hipótese espírita era a única capaz de dar conta de todos os fenômenos que havia observado.

*

Música canalizada

*

Música canalizada

A música canalizada é um processo recente no meio espiritualista mundial. Trata-se de uma sintonização musical seguindo alguns parâmetros. Um deles, é a sintonização de energias sutis relacionadas a pessoas, animais, plantas, paisagens, sentimentos, etc.
Nos últimos anos desenvolvemos um outro tipo de processo musical que inclui a canalização, que chamamos de “mantra codificado”. O mantra codificado é a transformação de palavras em notas musicais segundo processos derivados da Cabala Hebraica. Quando obtemos as notas exatas que devem fazer parte da música, então sintonizamos sua melodia final.

Música canalizada pessoal

A música canalizada pessoal é aquela feita para uma pessoa. Ela deve conter a energia desta pessoa, de modo a ajudá-la no processo de reequilíbrio energético, emocional e espiritual. Para fazermos a música canalizada pessoal, precisamos do nome completo de nascimento da pessoa, bem como sua data completa da nascimento.
*
Contato: pstekel@gmail.com
Paulo Stekel
*