Muito Obrigado Visitante!

*

Anúncios

*

Médium: James Van Praagh

Em rápida passagem pelo Brasil, James Van Praagh, criador e orientador da série americana Ghost Whisperer, do canal Sony, concedeu uma entrevista exclusiva a Rosana Beni.

Conhecido como médium das estrelas de Hollywood ele, que está lançando o livro Espíritos entre Nós, garantiu à apresentadora do programa Dimensões, exibido pelo Canal de São Paulo, da TVA, que não estamos sós na hora da morte.

“James não segue a doutrina espírita. Ele nasceu com o dom de conversar com espíritos, que garantem: todas as pessoas, mesmo as suicidas, são amparadas na hora da morte. E todas estão presentes em seus funerais, para poder compreender o que aconteceu com elas”, explicou Beni.

A apresentadora que já esteve em palestras ministradas pelo vidente, nos EUA, contou ainda que, ao reencontrá-lo, foi surpreendida por um comentário:

“Assim que me viu, ele me disse que os meus bebês estavam bem e já estavam de cabeça para baixo. Eu acabava de vir do ginecologista, que tinha dito o mesmo. Também comentou que o menino era a reencarnação de uma pessoa da família e isso bateu com o comentário de outra vidente que conheço”.

Para quem não crê no dom de James Van Praagh, Rosana revelou:

“Em suas palestras, muitos espíritos se manifestam e mandam mensagens para a plateia. No Brasil, muitas pessoas se emocionaram, quando ele contou passagens que só elas próprias sabiam. Não é à-toa que ele já vendeu 4 milhões de livros”.
*
Fonte:
http://ofuxico.terra.com.br/materia/noticia/2009/04/23/rosana-beni-entrevista-medium-das-estrelas-de-hollywood-110695.htm
*

Evoluir

*

Evoluir

“a doutrina espírita faz (…) ressaltar a necessidade do melhoramento individual”.¹

Através do conhecimento da Doutrina Espírita sentimos que temos um trunfo em nossas mãos: o roteiro para chegarmos lá, num futuro de paz e fraternidade…

Interessante é observar qual o caminho para se atingir esse objetivo, traçado pelo próprio Kardec¹: “Dando a prova material da existência e da imortalidade da alma, iniciando-nos nos mistérios do nascimento, da morte, da vida futura, da vida universal, tornando palpáveis as conseqüências inevitáveis do bem e do mal, a doutrina espírita faz (…) ressaltar a necessidade do melhoramento individual. Por ela, o homem sabe donde vem e para onde vai, e por que está na Terra; o bem tem um fim, uma utilidade prática”.

O que se depreende deste texto citado é que este sentimento da necessidade do melhoramento individual é resultado do conhecimento sobre os mistérios da vida e da morte, das conseqüências do bem e do mal em cada um de nossos atos.

O estudo para a apropriação desse conhecimento é fundamental. Pode-se argumentar que basta agirmos segundo nossa consciência para acertarmos o rumo. Mas, por que não expandir essa consciência?

Na pergunta 780-a, do Livro dos Espíritos², Kardec indaga: Como pode o progresso intelectual engendrar o progresso moral? A resposta é clara: Fazendo compreensíveis o bem e o mal. O homem, desde então, pode escolher. O desenvolvimento do livre-arbítrio acompanha o da inteligência e aumenta a responsabilidade dos atos.

Ressalta-se também que esse não é um processo cujos resultados aparecerão somente lá na frente, ou seja, quando eu achar que já aprendi o bastante. Ao contrário, os efeitos vão aparecendo ao longo do próprio debruçar-se sobre o objeto do estudo, afetando tanto a quem aprende como às pessoas à sua volta. Kardec também já nos alertara que o Espiritismo não forma o homem somente para o futuro, forma-o também para o presente e para a sociedade.¹

Assim, o trabalho para a nossa evolução – bem como para o progresso de todo o nosso grupo social – começa agora, a partir da busca de condições que nos propiciem entender melhor as leis que tudo regem, seu funcionamento e nossa inserção nesse todo.

Ao mesmo tempo partimos, conscientemente, para a busca dessa transformação em nós, no dia a dia, nas pequenas coisas do cotidiano, como: não jogar papel de bala no chão, não passar no sinal vermelho, não burlar o imposto de renda, respeitar a todos sempre, não usar indevidamente qualquer objeto que não nos pertença… E aí vai uma série de atitudes que, quanto mais presentes estiverem nas pessoas, mais próximos estaremos de uma verdadeira revolução em nosso planeta, aquela que começa a partir do melhoramento de cada um.

É assim que podemos ir fazendo nossa parte, agindo e entendendo – pelo conhecimento das leis divinas – porque cada atitude dessa é importante numa sociedade que reúne tantas pessoas num objetivo comum: o progresso e bem estar de todos. Kardec, em Obras Póstumas¹, conclui: Pelo melhoramento moral os homens preparam na Terra o reino da paz e da fraternidade.

Referências Bibliográficas:
1.ALLAN KARDEC, Obras Póstumas, LAKE, 2ª Parte, Credo Espírita, pág.292.
2.ALLAN KARDEC, O Livro dos Espíritos, LAKE, pergunta 780a.
Fonte: Verdade e Luz, edição nº 244, Maio de 2006
Federação Espírita do Estado de Mato Grossohttp://www.feemt.org.br
*
Marlene Fagundes Carvalho Gonçalves
*
Fonte:
http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=344908
*