CE Francisco de Assis

*

Convite

O Centro Espírita Francisco de Assis convida a todos assistirem no dia 04 de abril, próximo sábado, às 20 horas, a palestra em homenagem ao Sr. Egydio Gomes Vieira, um dos fundadores deste Centro.

O palestrante será o Sr. José de Mello.

O Centro Espírita Francisco de Assis está localizado a
Rua Antônio Bento, nº 18, Alto do Cristo – Taubaté.
*

Anúncios

Equipamento x Talento

*

EQUIPAMENTO X TALENTO

Certa manhã, na redação da extinta Revista Manchete, seu fundador, Adolpho Bloch, estava junto à sua equipe de fotógrafos vendo algumas imagens premiadas pelo mundo.

Um dos fotógrafos comentou:
– Mas também, o Sr. Tem que ver o equipamento deles ! Só usam máquinas fotográficas de última geração, top de linha.

Adolpho Bloch então respondeu:
– Ah, é ? Você acha que esta foto está boa por causa do equipamento ?

Em seguida, pegou uma caneta Mont Blanc de ouro em seu bolso. Ofereceu ao fotógrafo e disse:
– Toma ! Escreva, então, um best-seller !
*
Colaboração: Ricardo Leão – São Paulo-SP
*

Intolerância

*

Intolerância

03/04/2009
Pais intolerantes, filhos…
A intolerância é uma chaga social. Os sonhos de harmonia entre os homens batem de frente nos muros da intolerância erguidos pela inflexibilidade das pessoas. As guerras, por exemplo, são as filhas mais diletas da intolerância. Leia-se guerra também os embates domésticos, que freqüentemente ocorrem, avassalando lares. Há tempos é assim. Na Idade Média, época obscura em que a Europa ficou imersa na ignorância, a intolerância era ainda mais abundante. Aqueles que não compartilhassem dos mesmos pontos de vista dos poderosos eram perseguidos e mortos ou forçados a modificar suas opiniões e crenças religiosas. Já na Idade Moderna é ilustrativo o caso de Galileu Galilei. O cientista, ao confirmar que a Terra não era o centro do universo, foi convidado em tribunal a desmentir. Galileu, a contragosto, teve de renegar as suas idéias para que continuasse vivo. Outro exemplo de intolerância ocorreu com a doutrina espírita, que nascia na Europa do século XIX. O auto de fé de Barcelona, em que foram queimados, em praça pública, 300 livros espíritas enviados por Allan Kardec ao livreiro Maurício Lachâtre, espelhou, também, de forma triste, a intolerância de algumas pessoas.

Poucos se atentam, no entanto, de que as raízes da intolerância têm morada nos lares, na educação das crianças. Os pais não raro exemplificam a intolerância aos seus filhos, transmitindo-a em suas atitudes. Pais intolerantes com os filhos, filhos intolerantes para com a vida e o semelhante. Digo isso por que presenciei triste cena em que os pais diziam ao filho não admitir, de forma alguma, seu namoro com jovem de outra religião. O jovem, obviamente, não compreendeu a atitude dos pais. No entanto, em virtude da rígida educação foi forçado a acatar. Terminou o namoro por causa da religião, isso em pleno século XXI. Lamentável. Fico a pensar: Será que este jovem será atingido pela intolerância dos pais? Será que irá copiá-la?

Pode ser que sim, pode ser que não. Porém, a família é nosso primeiro filtro de valores. É na família que aprendemos as primeiras noções de como viver em sociedade. Se os pais atuam na educação do filho transmitindo valores distorcidos, alimentando o preconceito e a intolerância, pode ser que esses jovens, espíritos em processo de educação, configurem em seu íntimo essas irrealidades como verdades absolutas.

O resultado não é difícil de prever: crescerão adultos preconceituosos e intolerantes, mimados e desacostumados a conviver com as diferenças. E, educados dessa forma, os diferentes serão encarados como inimigos ferrenhos. Ou seja, se não pensa conforme meus conceitos é meu oponente. Daí a busca pela eliminação de quem não lê na mesma cartilha. Alguns no emprego puxam o tapete, outros nas instituições boicotam as boas idéias, e assim caminha a humanidade…

Cabe, portanto, aos pais abrir a tela mental e despir-se de preconceitos e modelos mentais obsoletos, porquanto, se a intolerância outrora era justificada pela ignorância, hoje essa desculpa não faz mais sentido. A principal herança que deixamos aos filhos não é a monetária, mas, sim, a herança moral. Pensemos nisso.

O autor, Wellington Balbo, é colaborador de Opinião – http://wellingtonbalbo.blogspot.com
*
Fonte:
http://www.jcnet.com.br/detalhe_opiniao.php?codigo=153494
*

Mediunidade

*

“Uso minha intuição a favor da lei”

A parapsicóloga forense americana ganha popularidade na tevê ao mostrar como ajuda a polícia na solução de crimes hediondos

por Suzane Frutuoso

Em uma noite, mais de 30 anos atrás, a americana Sally Headding preparava o jantar, enquanto ouvia o noticiário na tevê em sua casa, na Califórnia. A reportagem falava de uma menina que estava desaparecida.

“Quando escutei a história, imagens da criança e flashes de seu corpo já morto apareceram diante dos meus olhos, como se fosse um slide de fotos”, lembra.

O marido de Sally, um médico que vinha do plantão no hospital, a encontrou tremendo e chorando. Após ouvir suas explicações, ele quis que ela contasse à polícia qual era a área onde a garota estaria.

“Recusei. Estava certa de que me achariam maluca. Meu marido chamou os policiais e repetiu tudo o que senti”, contou. Às 6 h da manhã seguinte, policiais chegaram à casa dos Headding. Achavam que Sally sequestrara a criança.

O malentendido foi logo desfeito. Desde então, a polícia passou a contatar a parapsicóloga forense, que ajudou a desvendar mais de mil crimes em diferentes países, para auxiliar em investigações.

Sally, 65 anos, se tornou conhecida graças à série Investigadores psíquicos, exibida no Brasil pelo canal Discovery Chanel. Formada em psicologia e doutora em parapsicologia pela Universidade de Berkeley, ela prepara um livro sobre seu dom – ou fardo. Hoje viúva, mãe de uma moça e avó de duas meninas.
*
= Artigo completo em: =
Fonte: Revista Isto É
http://www.terra.com.br/istoe/edicoes/2055/uso-minha-intuicao-a-favor-da-leia-parapsicologa-forense-americana-129756-1.htm
*

Palestra em Taubaté

*

José Maria de Medeiros Souza
hoje no Centro Espírita União e Caridade

A comunidade Espírita de Taubaté recebe hoje, dia 27, às 20 h, no Centro Espírita União e Caridade, o Médium e expositor, autor de diversos livros psicografados, José Maria de Medeiros Souza, da cidade de Santo André, que irá proferir a palestra “Doutrina Espírita: Patrimônio Moral da Humanidade” Atual presidente da Instituição Assistencial Espírita Lar Albert Schweitzer na cidade de Suzano – SP, tem entre seus diversos livros psicografados “O Estímulo Essencial” (livro de gênero filosófico), “Mediunidade de A a Z” , “Diário da Consciência” (livro de mensagens) e “Recado aos Médiuns”. A palestra proferida por Medeiros é aberta a toda a população de nossa cidade e região que tem interesse em conhecer um pouco mais sobre a Doutrina Espírita. O Centro Espírita União e Caridade está localizado a Rua Dr. Souza Alves, nº. 142, Centro – Taubaté.
*
Fonte:
http://www.diariotaubate.com.br/display.php?id=12798
*