Plantas Medicinais

*

Plantas Medicinais

MS elabora Relação de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS
06/03/2009 , às 16h58

Fonte:
http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/noticias/default.cfm?pg=dspDetalhes&id_area=1450&CO_NOTICIA=10001

São 71 espécies com potencial terapêutico, para orientar a cadeira produtiva e o desenvolvimento de pesquisas

Uma lista com 71 plantas de interesse do SUS está sendo divulgada pelo Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do Ministério da Saúde. Dentre algumas espécies constam a Cynara scolymus (alcachofra), Schinus terebentthifolius (aroeira da praia) e a Uncaria tomentosa (unha-de-gato), usadas pela sabedoria popular e confirmadas cientificamente, para distúrbios de digestão, inflamação vaginal e dores articulares, respectivamente.

A Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (Renisus) apresenta plantas medicinais que apresentam potencial para gerar produtos de interesse ao SUS. A finalidade da lista é orientar estudos e pesquisas que possam subsidiar a elaboração da relação de fitoterápicos disponíveis para uso da população, com segurança e eficácia para o tratamento de determinada doença. Atualmente, são oferecidos fitoterápicos derivados de espinheira santa, para gastrites e úlceras, e de guaco, para tosses e gripes.

“Chegamos a 71 espécies depois de fazer um levantamento nos municípios que utilizavam fitoterápicos. Também priorizamos a inclusão de plantas nativas, que possam ser cultivadas em pelo menos uma das regiões do país e que possam atender às doenças mais comuns nos brasileiros”, explica o diretor do Departamento de Assistência Farmacêutica, José Miguel do Nascimento Jr.

De 2003 a 2006 o Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia financiou 74 projetos na área de Fitoterapia. Cerca de R$ 10 milhões foram destinados à pesquisas nessa área. Além disso, a Renisus vai subsidiar as ações dos outros ministérios participantes do Programa (Ministérios da Casa Civil; Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Cultura; Desenvolvimento Agrário; Desenvolvimento Social e Combate a Fome; Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior; Ciência e Tecnologia; Integração Nacional; e Meio Ambiente). A Renisus deverá ser revisada e atualizada periodicamente, a critério do Ministério da Saúde.

FITOTERÁPICOS – O Sistema Único de Saúde (SUS) pretende ampliar, a partir de 2009, a lista de medicamentos fitoterápicos disponíveis na assistência farmacêutica básica em todo o país. O Ministério da Saúde também espera que com o Programa, os Estados possam se sentir estimulados a oferecer o serviço com esse tipo de medicamento – são 12 Estados ao todo que já oferecem.

Fitoterápico, de acordo com a legislação sanitária brasileira, é o medicamento obtido exclusivamente a partir de matérias-primas ativas vegetais. Os fitoterápicos utilizados pelo SUS são aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e, por isso, são considerados seguros e eficazes para a população.

De acordo com Nascimento, o programa tem um viés social, que mobiliza diversas áreas importantes, como a agricultura familiar, por exemplo. “É um instrumento de geração de emprego e renda, de desenvolvimento local e estruturação na cadeia produtiva, pois mobiliza desde o cultivo da planta medicinal até a produção do fitoterápico”.

O Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, instituído em dezembro de 2008 pela Portaria nº 2.960, tem como um de seus objetivos inserir, com segurança, eficácia e qualidade, plantas medicinais, fitoterápicos e serviços relacionados à Fitoterapia no SUS. O Programa busca, também, promover e reconhecer as práticas populares e tradicionais de uso de plantas medicinais e remédios caseiros.

Conheça as plantas medicinais que compõem a RENISUS:

Achillea millefolium
Allium sativum
Aloe spp* (A. vera ou A. barbadensis)
Alpinia spp* (A. zerumbet ou A. speciosa)
Anacardium occidentale
Ananas comosus
Apuleia ferrea = Caesalpinia ferrea *
Arrabidaea chica
Artemisia absinthium
Baccharis trimera
Bauhinia spp* (B. affinis, B. forficata ou B. variegata)
Bidens pilosa
Calendula officinalis
Carapa guianensis
Casearia sylvestris
Chamomilla recutita = Matricaria chamomilla = Matricaria recutita
Chenopodium ambrosioides
Copaifera spp*
Cordia spp* (C. curassavica ou C. verbenacea)*
Costus spp* (C. scaber ou C. spicatus)
Croton spp (C. cajucara ou C. zehntneri)
Curcuma longa
Cynara scolymus
Dalbergia subcymosa
Eleutherine plicata
Equisetum arvense
Erythrina mulungu
Eucalyptus globulus
Eugenia uniflora ou Myrtus brasiliana*
Foeniculum vulgare
Glycine max
Harpagophytum procumbens
Jatropha gossypiifolia
Justicia pectoralis
Kalanchoe pinnata = Bryophyllum calycinum*
Lamium album
Lippia sidoides
Malva sylvestris
Maytenus spp* (M. aquifolium ou M. ilicifolia)
Mentha pulegium
Mentha spp* (M. crispa, M. piperita ou M. villosa)
Mikania spp* (M. glomerata ou M. laevigata)
Momordica charantia
Morus sp*
Ocimum gratissimum
Orbignya speciosa
Passiflora spp* (P. alata, P. edulis ou P. incarnata)
Persea spp* (P. gratissima ou P. americana)
Petroselinum sativum
Phyllanthus spp* (P. amarus, P.niruri, P. tenellus e P. urinaria)
Plantago major
Plectranthus barbatus = Coleus barbatus
Polygonum spp* (P. acre ou P. hydropiperoides)
Portulaca pilosa
Psidium guajava
Punica granatum
Rhamnus purshiana
Ruta graveolens
Salix alba
Schinus terebinthifolius = Schinus aroeira
Solanum paniculatum
Solidago microglossa
Stryphnodendron adstringens = Stryphnodendron barbatimam
Syzygium spp* (S. jambolanum ou S. cumini)
Tabebuia avellanedeae
Tagetes minuta
Trifolium pratense
Uncaria tomentosa
Vernonia condensata
Vernonia spp* (V. ruficoma ou V. polyanthes)
Zingiber officinale

* definir a(s) espécie(s) com cultivo, estudos e indicação de uso

Outras informações
Atendimento à Imprensa
(61) 3315 3580 e 3315 2351
Fonte:
http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/noticias/default.cfm?pg=dspDetalhes&id_area=1450&CO_NOTICIA=10001
*
Publicado em:
SinapsesLinks:
http://sinapseslinks.blogspot.com/
Nota do Leal:
Estando neste blog, pesquise também:
Fitoterápicos
Langerton
Plantas medicinais
*
Conheça:
Janelas da Alma:
https://sites.google.com/site/eudisonleal/
*

*

Sorocaba – Primeiro Simpósio

A Associação Médico-Espírita de Sorocaba promove no próximo dia 29 seu primeiro simpósio sobre Ciência e Espiritualidade. Um dos focos principais do encontro – no auditório da Faculdade de Direito de Sorocaba (Fadi) – é discutir sobre o começo da vida, se ela realmente tem início na fecundação, confrontando com o que a ciência já estudou sobre o assunto. Para complementar, serão discutidas as leis que protegem o feto. O simpósio será das 7h30 às 19h30.

O evento será dividido em três blocos: uma parte voltada à reencarnação, outra sobre ciência e ainda uma reservada à psiquiatria. Serão tratados temas como psicologia fetal e esquisofrenia. As palestras serão ministradas por médicos conhecidos no meio espírita e em universidades; três deles são da Universidade de São Paulo (USP) e outro da Faculdade de Santos. São profissionais que estão sempre participando de congressos no exterior, esclarece a dermatologista Jane Maria Módena Bassi.

Entre os 10 expositores, três são de Sorocaba: a própria Jane, o oftalmologista José Luiz Mentone e a gineco-obstetra Érica Alessandra Rodriques. Entre os destaques do encontro está a participação de Sérgio Felipe de Oliveira, de São Paulo, psiquatra conhecido por colaborar com a rádio Boa Nova, e idealizador do projeto Universidade Internacional do Espírito (Uniespírito). Fundada em junho de 2007, a Associação Médico-Espírita de Sorocaba é uma sociedade beneficente composta de médicos e profissionais da saúde, com o objetivo de estudar o conhecimento unindo ciência à espiritualidade.

O público-alvo das palestras são médicos e profissionais da saúde, além de interessados em geral. Os preços (até o dia 25) são: R$ 60 (não-sócio), R$ 40 (sócio) e R$ 30 (universitários). Parte renda será revertida para a Creche Maria Claro e à Associação Médico-Espírita do Brasil. Inscrições pelo site http://www.amesaopaulo.com ou pelo e-mail simposioamesorocaba (11) 5581-7089 ou (15) 9156-3022.
*
Fonte:
http://www.cruzeirodosul.inf.br/materia.phl?editoria=39&id=168813
*