21 Sentidos!

*

Ambiência

Datação
1922 cf. CF3

Acepções
| substantivo feminino
1 qualidade do que é ambiente, do que rodeia os seres vivos
2 o meio físico, material, em que vive um animal ou um vegetal; meio ambiente
3 Derivação: por extensão de sentido.
conjunto de condições sociais, culturais, morais etc. que cercam uma pessoa e nela podem influir; meio ambiente
4 Rubrica: acústica. Regionalismo: Brasil.
nas apresentações ao vivo, conjunto de sons indiretos que produzem reverberação e afetam a qualidade sonora
5 Rubrica: arquitetura.
espaço preparado para criar um meio físico e estético (ou psicológico) próprio para o exercício de atividades humanas; ambiente
*
Etimologia
fr. ambiance (1885) ‘meio ambiente, atmosfera que envolve uma pessoa ou coisa’; ver 2i- e ambi(e)-
*
Fonte:
http://houaiss.uol.com.br/
*

Reaprendizado

*

Reaprendizado

Espíritas entendem ser fase de reaprendizado
Da Redação

Prêmio Nobel de Química em 1977, o russo Ilya Prigogine concluiu que sistemas não podem evoluir em estado de equilíbrio. Em outras palavras: o caos é necessário ao progresso.
*
Para o presidente da Associação Médico-Espírita de Santos (AME-Santos), Ricardo Sallum, esta é a definição mais confortável para o momento que a humanidade atravessa. A exemplo dos católicos, a comunidade espírita acredita que esta é uma fase de reaprendizado. “A Terra é uma escola, não estamos aqui a passeio. Viemos para construir, deixar algo para o futuro”, defende Sallum.

Ele atribui o receio coletivo a uma visão limitada, na qual só se enxerga a possibilidade de perdas materiais, embora reconheça que essa sensação é praticamente inevitável. “A primeira coisa com que a pessoa se preocupa é com o seu emprego”.

Mas, além da ameaça ao bolso, a crise traz risco à saúde. Sallum adverte que sentimentos como medo, insegurança e raiva são atalhos para as doenças. “Esses sentimentos levam à depressão. A partir daí, nosso sistema imunológico não reconhece, por exemplo, as células cancerígenas que precisa matar”, explica.

Desta fase de “desencarne coletivo” que os espíritas acreditam estar em andamento, fica a esperança de um planeta melhor. “As pessoas tendem a buscar o conforto espiritual quando falta o material. Isso, com certeza, trará mudanças boas”.
*
Fonte:
http://atribunadigital.globo.com/bn_conteudo.asp?cod=400013&opr=103
*

Selos Espíritas

*

Selos Espíritas

Conheça alguns dos selos comemorativos relativos ao Espiritismo.
Fonte:
http://www.sidneyrezende.com/noticia/31440+selos+espiritas+comemorativos
*
Você pode contribuir?
Você tem outros selos que possa nos enviar a imagem?
Então… escreva:
ep-leal@uol.com.br
Muito obrigado.
Fraternalmente,
Leal
*

Jogo dos Espíritos

*

Brincadeira do Copo

“Jogo dos Espíritos” será adaptado aos cinemas
Data: 27 de Fevereiro de 2009
Por: Pablo Cordeiro

“Tabuleiro Ouija”, ou “Jogo dos Espíritos” e “ Brincadeira do Copo”, como é mais conhecido aqui no Brasil, é o próximo jogo de tabuleiro que ganhará os cinemas. Segundo a MTV, o CEO da Hasbro, Brian Goldner, revelou que o projeto já está sendo desenvolvido pela Universal Pictures.

“Metade das pessoas que jogam Ouija como uma sessão espírita acham que é um jogo”, disse Goldner. “A outra metade acha que ele é muito mais sério do que isso. Então essa é a ideia, de isto ser real ou apenas imaginação. Isto é algo que é feito pelos participantes, ou é algo que é realmente do exterior?”, questionou. Ainda segundo ele, sua intenção é produzir algo assustador como “O Chamado” e “O Dom da Premonição”.

O Tabuleiro Ouija nada mais é do que uma tábua com letras e números, em que os participantes utilizam o dedo indicador, um copo ou uma caneta para obterem respostas a questionamentos direcionados a espíritos. Se verdade ou não, jamais na história algo pode ser provado. Céticos e religiosos não crêem nesse tipo de possessão, no entanto o espiritismo não descarta a hipótese dessa via de comunicação dos espíritos com o mundo dos vivos.

O roteiro está sendo escrito por David Berenbaum (“Mansão Mal-Assombrada”) e detalhes do enredo ainda não foram divulgados.
*
Fonte:
http://www.cinemacomrapadura.com.br/noticias/14871/jogo_dos_espiritos_sera_adaptado_aos_cinemas
*

Osteoporose

*

A Praga dos Ossos Fracos

A osteoporose afeta boa parte das mulheres depois da menopausa. Não há cura para a doença, só paliativos. A única arma eficaz contra ela são os cuidados a ser tomados desde a juventude.

A osteoporose é um dos fantasmas que assombram as mulheres na pós-menopausa. A doença, tipicamente feminina, causa um tipo de degeneração óssea para o qual não há cura, só paliativos. Os sintomas iniciais e mais perceptíveis são perda de altura e forte dor nas costas. Com os ossos enfraquecidos, as vítimas da osteoporose podem sofrer fraturas graves, principalmente de costelas, quadris, punhos e espinha dorsal.

Existem 200 milhões de doentes no mundo, dos quais 10 milhões estão no Brasil.

De cada quatro diagnósticos, três são realizados somente depois da primeira fratura, quando há muito pouco a fazer. A arma mais eficaz contra a osteoporose é a prevenção. Ou seja, muito cálcio, vitamina D e ginástica moderada. Essas medidas devem ser adotadas desde a juventude. Explica-se: cerca de 90% da estrutura óssea é formada até os 20 anos. Quanto mais sólido for seu processo de calcificação, menor ser á o risco de a doença se manifestar mais tarde. É como quem poupa dinheiro para uma aposentadoria tranqüila.

Na verdade, a osteoporose é o acirramento de um fato natural. A partir dos 35 anos, toda mulher perde massa óssea. A perda maior ocorre nos primeiros dez anos depois da menopausa. Isso porque o organismo feminino fica sem a proteção do hormônio estrógeno, que estimula justamente a formação de massa óssea. Uma perda de até 10% nesse período é considerada normal. Entre 10% e 25%, entra-se na fase da osteopenia, um estágio anterior à osteoporose em que ainda é baixo o risco de fraturas. As que sofrem da doença têm uma perda bem mais comprometedora, acima de 25%. Recomenda-se que entre 30 e 40 anos seja feito um exame de densitometria óssea, para verificar se já há indícios do problema e servir de base para comparações futuras.

Máquinas de última geração conseguem medir perdas de massa óssea mínimas, de até 2%. Se a propensão à doença for identificada com alguma antecedência, é possível minorar seus efeitos. O tratamento mais empregado é a reposição hormonal. A administração de hormônios sintéticos reduz os riscos de fratura em até 70%. Usados por muito tempo, no entanto, aumentam a probabilidade de surgimento de c âncer de mama e de colo do útero. Nos últimos anos, chegaram às farmácias brasileiras drogas capazes de retardar a ação da doença. As taxas de sucesso desses medicamentos chegam a 65% e eles não apresentam os riscos dos hormônios.

Fonte: Revista Veja
*
Colaboração:
Mário Leal Filho – São Paulo-SP
*
Publicado em:
http://sinapseslinks.blogspot.com/
*
Janelas da Alma:
https://sites.google.com/site/eudisonleal/Home
*

A criança que não comia!

*

A criança que não comia…

25 de Fevereiro de 2009
O dia normal de trabalho corria célere, por entre os muitos afazeres do quotidiano. Entretanto, toca o meu telemóvel e, vejo que se trata de uma amiga, professora e espírita. Não é usual telefonar-me. Atendi a chamada. O caso era estranho, insólito e, explicava-se em poucas palavras. Pedia-me desculpa pelo incómodo, principalmente por ser em horário laboral, mas era urgente. Segui a história com atenção.
Uma sua amiga, enfermeira num Hospital da região centro de Portugal, telefonara-lhe muito aflita.

Sabendo-a espírita e, tendo internada no serviço de pediatria, uma criança com 3 anos de idade que não comia nada há 9 dias, sem que os médicos conseguissem descortinar um diagnóstico, a referida enfermeira, questionava a sua amiga, professora de profissão e espírita nas horas vagas, se não haveria hipótese de ir ao Hospital ver a criança. Os pais, pouco habituados a estas andanças, não se importavam, só queriam que a filha comesse e tivesse alta.

Após o telefonema e contactado outro amigo nosso, também espírita, combinámos uma determinada hora e, lá fomos ao Hospital, visitar a criança de 3 anos de idade que, entubada, ali estava junto dos pais. Olhavam estranhamente para nós, como se fossemos seres de outro planeta. Depressa se aperceberam que, éramos gente normal, com as suas famílias e afazeres profissionais e, que nas horas vagas, nos dedicamos gratuitamente ao estudo e prática do espiritismo, em prol do bem-estar alheio.
Conversando um pouco com a mãe, na presença da enfermeira que nos facultara a entrada como se fossemos visitas da criança a convite dos pais, (e de facto assim fora), um de nós, tendo mediunidade, apercebeu-se de uma senhora idosa, falecida, ligada à mãe e à criança, provocando inadvertidamente, a falta de apetite na criança. Era uma senhora simples, mas revoltada, que tinha medo de ir para o inferno, segundo dizia psiquicamente ao médium que a captou, habituada que fora a esses conceitos distorcidos apreendidos na Igreja Católica. Lá fomos conversando com ela, muito discretamente, sem que ninguém se apercebesse da real situação.
Na associação espírita onde colaboramos, pedimos ajuda espiritual para aquele caso, no sentido de auxiliar a senhora falecida e, assim libertar a criança daquela interferência espiritual, que lhe provocava inibição ao nível da alimentação.
Voltámos ao Hospital 2 dias depois, encontrando a criança muito melhor, mais calma.
Nesse dia, foi transferida para Lisboa, para o Hospital D. Estefânia, já que nada tendo sido detectado, ter-se-ia de procurar outras etiologias para o caso. Chegada ao Hospital lisboeta, a criança começou a pedir comida (não comia há 11 dias) aos pais, esfomeada, tendo-se confirmado através de endoscopia, que nada tinha, em termos de doença.

Explicações? Não existiam, mas também que importava? A criança já estava boa, já comia, podia voltar para casa…
E assim foi…

Os pais, nunca mais os vimos… nem era preciso, claro!
Mas, ficamos a meditar como irá ser tão profunda a medicina, quando todos os médicos forem conhecedores das realidades do Espírito, que a óptica materialista os impede de ver.

Quando os médicos souberem que somos seres imortais, que temos muitas vidas, que existe um intercâmbio dinâmico entre o mundo terreno e o mundo espiritual e, que as doenças são muitas vezes fruto de acções da pessoa em vidas passadas, então terão outras ferramentas para compreenderem e entenderem o ser humano, na sua vertente holística, integral.

Felizmente já existem muitos médicos espíritas em Portugal e pelos vistos… enfermeiros…

O estudo da Doutrina Espírita (ou Espiritismo) provocará uma grande revolução ético-moral na humanidade levando-a por caminhos mais fraternos, desinteressados e mais humanistas, pondo em prática os ensinamentos de Jesus de Nazaré.

José Lucas
*
Fonte:
http://www.jornaldascaldas.com/index.php/2009/02/25/a-crianca-que-nao-comia/
*

Llena de espíritu

*

Llena de espíritu

Hablar sobre mediumnidad y espiritismo inspira cierto escepticismo y temor en muchas personas. Sin embargo, para la psíquica María de la Gracia de Ender se trata de un tema muy natural.

Así fue desde su infancia, lo que de cierta manera le permitió “crecer y considerar la fenomenología psíquica como algo normal”, según responde desde Panamá, donde reside, en una entrevista concedida a Primera Hora. Cabe resaltar que la experta será una de las invitadas al Congreso Espírita Puertorriqueño (Coespu), a llevarse a cabo durante este fin de semana en San Juan.

Entre sus habilidades experimentadas se incluyen “clariaudiencia, videncia psíquica y premoniciones”. De hecho, alega que “muchos acontecimientos de mi vida me fueron anunciados por la mediumnidad, sobre todo en sueños”. En algunos de ellos, “personas ya fallecidas -conocidas o desconocidas- se me presentaban y me pedían que les dijera a sus seres queridos que ellas estaban bien”. Fue a partir de su adolescencia que empezó a tener vivencias que la asustaron un poco. Una de ellas concierne a una madrugada en que, despierta, sintió la presencia de su abuela tal cual se sentara en su cama, y quien le dijo “Vine a saludar a nuestra bebé”, refiriéndose a su hermana menor, quien cumplía años ese día.

En contacto por amor
La espiritista señala que la razón principal por la que los espíritus de personas fallecidas insisten en comunicarse es por el amor que sienten por sus seres queridos. A su vez, “los espíritus guardianes se comunican en forma oculta con cada uno de sus tutelados para guiarlos en el bien, independientemente de la creencia y de la religión de cada cual”.

Y aunque parezca una realidad inalcanzable, De la Gracia de Ender asegura que los escuchamos a través del pensamiento “más de lo que imaginamos”. Esto ocurre porque tras la muerte, “los espíritus continúan pensando y, por sintonía mental, nosotros los escuchamos desde la forma más oculta”, como la inspiración, hasta la más sutil, como la intuición.

Don que enriquece
La espiritista analiza que su aptitud la ha enriquecido “porque uno se siente amparado espiritualmente, sobre todo si se está buscando aprender a sacar el mayor provecho espiritual de la presente encarnación”. Incluso, son conocimientos que la han motivado a la práctica del bien. “Pasamos a tener una visión de continuidad y despertamos para valorar cada minuto de la existencia como una preciosa oportunidad de progreso material, intelectual, moral, espiritual”.

Además, si algo tiene claro la psíquica respecto a su don es que no está permitido cobrar por su ayuda mediúmnica. “¡Jamás cobraría!”, responde enfática. Esto incluye no aceptar regalos, donaciones ni favores a cambio. “La mediumnidad es un don de servicio de amor al prójimo”, explica. Por lo tanto, “cobrar por un don que nos es prestado por Dios para que nos tornemos seres mejores es un acto de profunda deshonestidad, ingratitud e ignorancia”, insiste.

Nada que temer
Para los que manifiestan temor respecto al tema del espiritismo, De la Gracia de Ender aclara que esta doctrina tiene a “Dios como su cimiento, al maestro Jesús como modelo y guía y al pedagogo francés Allan Kardec como su codificador”. Además, se trata de una filosofía “ de luces, esperanzas y consuelos revelada por los espíritus superiores a la humanidad para colaborar con su progreso espiritual”.
*
Fonte:
http://www.primerahora.com/noticia/otras_vatm/vive_a_tu_manera/llena_de_espiritu/276279
*

Preparando o Caminho do Senhor

*

PREPARANDO O CAMINHO DO SENHOR

Ajudai o trabalho de preparação para a vinda do Senhor do Amor vivendo com Amor e o Seu amor a todos transmitindo.

A todos falai sobre Ele.

Nenhuma oportunidade deveis perder de espalhar a Boa Nova – e assim muitos despertarão no devido tempo.

Fazei que o mundo veja como Ele a Si mesmo se manifesta: difundindo entre os homens a fraternidade pela qual tantas correntes hoje trabalham.

Ensinai: – somente poderão vê-Lo aqueles que olharem na direção onde Ele Se acha – no caminho da fraternidade e do amor.

O mundo deve ser trazido cada vez mais perto, até tocar os Seus ensinamentos: tornai-os conhecidos de todos.

Fazei com que os homens compreendam o enorme esforço que se está realizando agora, no surto da nova raça.

Fazei com que percebam a importância da passagem por este ponto de evolução, em que a Luz mais uma vez lhes é oferecida.

Ajudar os outros a alcançá-Ia deve ser o vosso constante esforço.

Muito poderá ser dado neste momento, e melhor resultado será obtido por aqueles a quem a Sua mensagem for agora transmitida, do que por aqueles que dela tiverem conhecimento somente depois de Sua vinda.

Empregai toda vossa energia em tomar cada vez maior a Sua influência.

Preparai o Seu caminho em todas as direções possíveis.
*
Fonte, livro: Aos Pés do Mestre
Autor: Krishnamurti
Editora: Pensamento
*
Publicado em SinapsesLinks:
http://sinapseslinks.blogspot.com
*
Janelas da Alma:
https://sites.google.com/site/eudisonleal/
*

Mediunidade

*

Mediunidade

Fonte:
http://www.sidneyrezende.com/noticia/31045+peso+da+mediunidade

A mediunidade é um peso na vida das pessoas?

Para responder a essa questão precisamos entender o que é mediunidade. Mediunidade é a capacidade que o ser encarnado tem de manter algum tipo de comunicação com o ser desencarnado. Todos a temos, porém, em níveis diferentes de desenvolvimento e levando-se em consideração a capacidade do espírito de reencarnar-se, tais níveis poderão ser tão baixos em determinadas encarnações que não mostrar-se-ão visíveis, levando a crer que não é uma característica de todos, principalmente, para os que não têm uma base sólida na crença do espírito e nas suas manifestações.

A mediunidade não é, portanto, um fardo ou um dom, o que não lhe atesta um peso, ou seja, não existe para punir ou abrilhantar a vida de ninguém.

A mediunidade serve para que possamos crescer e ajudar outros a crescerem também, porque nos permite aliviar, através de nossa intermediação, (comunicações com os espíritos) as dores daqueles que nos procuram nas casas espíritas. A mediunidade, além de níveis diferentes de desenvolvimento, apresenta-se de diversas maneiras ou tipos. Audição, Vidência, Intuição, Incorporação e muitas outras. Nenhuma delas é melhor que a outra e nós importa que as procuremos desenvolver adequadamente a fim de que nos tornemos aparelhos mais capazes para que os espíritos, na Umbanda denominados de Entidades ou Guias Espirituais, possam praticar os seus trabalhos espirituais.

Há diversas maneiras de se entender o tipo e a condição de trabalho da mediunidade e, conseqüentemente, do médium. Tais maneiras dependem sobremaneira da doutrina aplicada, no entanto, é fato que, por mais capacitado que seja o médium, ele sempre será um intermediário. A essência do trabalho caberá sempre ao espírito, à Entidade, ao Guia.

As manifestações da mediunidade de incorporação são sem dúvidas as mais conhecidas e, por isso mesmo, as mais discutidas. Descrevem-nas como conscientes, inconscientes e semiconscientes. Entretanto, independente de como se apresentem, o médium deverá ter sempre a humildade de aceitar que, apesar de muito importante no processo mediúnico, sua função é a de intermediário. Aceitando isso, com certeza, estará sempre incluído em um bom plano de aprendizado e melhoramento de seu nível mediúnico.

Quanto ao tipo de espírito que poderá manifestar-se através do médium, vai depender da doutrina ou mesmo religião a que o médium estiver ligado, embora, qualquer tipo de espírito poderá fazer qualquer tipo de comunicação através de um médium, desde que a sua mediunidade seja coerente com o tipo de comunicação que o espírito deseje ou possa fazer.

A Umbanda, ainda que se discuta esse fato, é uma religião de caráter espírita, pois, crê no espírito e na sua manifestação e processa-se basicamente através dessas manifestações. As Entidades de Umbanda são espíritos já dotados de grande elevação espiritual, identificados, nominal e pessoalmente, como Caboclos, Pretos-Velhos, Exus, Crianças e outros, possuindo um nome próprio específico que os identificam completamente – Caboclos: Pedra Preta, Da Pedra, Cobra Coral; Pretos Velhos: Pai João, Pai Antonio, Vovó Maria Conga; Exus: Exu Porteira, Exu Veludo, Caveira, etc…. Estes Guias manifestam-se através do seu médium sempre que forem chamados nas sessões ou nas dificuldades, ou mesmo, se definirem que há necessidade extrema de um recado ou de uma ajuda. Cada médium tem várias Entidades em sua coroa, podendo inclusive, ser mais de uma de cada tipo de Entidade sendo que uma delas em especial é considerada a Entidade de Frente, ou seja, aquela que na maior parte das vezes estará à frente para a conclusão dos trabalhos e que normalmente acompanha o médium mais efetivamente no início de seu desenvolvimento mediúnico.

De forma geral, as manifestações são sempre muito semelhantes, embora cada Entidade apresente uma característica bastante própria, mas estas diferenças não definem alguma superioridade de uma Entidade sobre outra. Para o médium o que importa é a vontade de servir e a humildade de saber-se mero intermediário, precisa ainda também de inabalada fé para esperar os momentos certos de seus merecimentos. Serão estas virtudes dos médiuns que ajudarão e muito as Entidades nos seus trabalhos de cura e soluções dos problemas que lhes apresentam.

Saravá Umbanda!
Que Oxalá abençoe a todos,
Robson Nogueira – Solo!
*