52 Seduzir

*

É pecado se deixar seduzir?

Uma admirável lenda grega conta a história de Atalanta, uma semi-deusa com características semelhantes às de Artemis ou Diana, a caçadora.

Atalanta era intrépida, batalhadora e muito focada nos seus objetivos, razão pela qual desprezava a idéia de se dedicar a um amor. Contudo, Atalanta era muito cortejada, a ponto de se ver obrigada a criar uma artimanha para se desvencilhar de seus pretendentes.

Seu plano era o seguinte: como Atalanta era uma corredora veloz e grande conhecedora das matas, jurou que daria sua mão a quem a vencesse em uma corrida. Hipômenes era um desses pretendentes, talvez o com menos chance de vencê-la.

Entretanto, logo no início da corrida ele jogou aos pés de Atalanta uma maçã de ouro. Atalanta viu sua própria face refletida no brilho da maçã e pela primeira vez em sua vida se imaginou mais velha, menos independente. Mais adiante, Hipômenes jogou uma segunda maçã, mais macia, que fez Atalanta pensar no aconchego do amor.

Ainda assim, Atalanta estava quase ganhando a corrida quando Hipômenes fez a terceira maçã rolar a seus pés. O desajeitado percurso desta ultima maçã fez Atalanta pensar nas crianças.

Nunca se soube se as maçãs de fato distraíram Atalanta ou se no meio do trajeto ela mudou de idéia, mas a lenda diz que ambos se casaram.

E nós, quão abertos estamos às novas oportunidades? É sabido que pessoas realizadoras – empreendedoras, descobridoras, inovadoras em geral – foram muito pertinazes na busca de seus sonhos e suas visões. Mas o mundo tem também espaço para pessoas que se deixam seduzir.

O sentido da palavra seduzir é tirar do caminho. Quantos “acidentes de percurso” não levam pessoas a mudarem seus rumos? Quantas descobertas não são possíveis em novos percursos? Quantas ofertas de trabalho não são realmente sedutoras? Quantas oportunidades não estão escondidas em percursos não imaginados?

Se você nem tem um caminho, talvez ninguém saiba como seduzi-lo. Mas se você o tiver, não despreze as maçãs. Afinal, a lenda não conta, mas quem sabe, agora casada, Atalanta não tenha encontrado em Hipômenes um companheiro para ajudá-la a atingir seus objetivos?

Autora : Gisele Kassoy
*
Colaboração: Mário Leal Filho – São Paulo-SP – Brasil
*
*
***

Anúncios

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s