52 Construindo Pontes

*

Construindo Pontes

Conta-se que, certa vez, dois irmãos que moravam em fazendas vizinhas, separadas apenas por um riacho, entraram em conflito.

Foi a primeira grande desavença em toda uma vida trabalhando lado a lado, repartindo as ferramentas e cuidando um do outro.

Durante anos eles percorreram uma estrada estreita e muito comprida, que seguia ao longo do rio para, ao final de cada dia, poderem atravessá-lo e desfrutar um da companhia do outro. Apesar do cansaço, faziam a caminhada com prazer, pois se amavam.

Mas agora tudo havia mudado. O que começara com um pequeno mal entendido finalmente explodiu numa troca de palavras ríspidas, seguidas por semanas de total silêncio.

Numa manhã, o irmão mais velho ouviu baterem na sua porta. Ao abri-la notou um homem com uma caixa de ferramentas de carpinteiro na mão.

Estou procurando trabalho- disse ele. Talvez você tenha um pequeno serviço que eu possa executar.

Sim! – disse o fazendeiro – claro que tenho trabalho para você. Veja aquela fazenda além do riacho. É do meu vizinho. Na realidade, meu irmão mais novo. Nós brigamos e não posso mais suportá-lo.

– Vê aquela pilha de madeira perto do celeiro? Quero que você construa uma cerca bem alta ao longo do rio para que eu não precise mais vê-lo.

Acho que entendo a situação – disse o carpinteiro. Mostre-me onde estão a pá e os pregos que certamente farei um trabalho que lhe deixará satisfeito.

Como precisava ir à cidade, o irmão mais velho ajudou o carpinteiro a encontrar o material e partiu.

O homem trabalhou arduamente durante todo aquele dia medindo, cortando e pregando. Já anoitecia quando terminou sua obra.

O fazendeiro chegou da sua viagem e seus olhos não podiam acreditar no que viam. Não havia qualquer cerca!

Em vez da cerca havia uma ponte que ligava as duas margens do riacho.

Era realmente um belo trabalho, mas o fazendeiro ficou enfurecido e falou: você foi muito atrevido construindo essa ponte após tudo que lhe contei.

No entanto, as surpresas não haviam terminado.

Ao olhar novamente para a ponte, viu seu irmão aproximando-se da outra margem, correndo com os braços abertos.

Por um instante permaneceu imóvel de seu lado do rio. Mas, de repente, num só impulso, correu na direção do outro e abraçaram-se chorando no meio da ponte.

O carpinteiro estava partindo com sua caixa de ferramentas quando o irmão que o contratou pediu-lhe emocionado: “espere! fique conosco mais alguns dias”.

E o carpinteiro respondeu: “eu adoraria ficar, mas, infelizmente, tenho muitas outras pontes para construir.”

E você, está precisando de um carpinteiro, ou é capaz de construir sua própria ponte para se aproximar daqueles com os quais rompeu contato?

………………………………………..

As pessoas que estão ao seu lado, não estão aí por acaso.

Há uma razão muito especial para elas fazerem parte do seu círculo de relação.

Por isso, não busque isolar-se construindo cercas que separam e infelicitam os seres.

Construa pontes e busque caminhar na direção daqueles que, por ventura, estejam distanciados de você.

E se a ponte da relação está um pouco frágil, ou balançando por causa dos ventos da discórdia, fortaleça-a com os laços do entendimento e da verdadeira amizade.

Agindo assim, você suprirá suas carências afetivas e encontrará a paz íntima que tanto deseja.
*
Fonte:
http://www.portaldiabetes.com.br/
*
Colaboração: Mário Leal Filho – São Paulo-SP – Brasil
*
*
***

52 Reencarnação Raciocinada

Reencarnação Raciocinada

De: Luciano de Almeida Peruci
Para: ep-leal@uol.com.br
Data: 12/01/2007 22:27
Assunto: Reencarnação

Reencarnação

Leal,

Obrigado por sempre me encorajar a escrever e manifestar minhas opiniões a respeito de assuntos diversos, mas que objetivam quase sempre descortinar nossas próprias facetas. Muitas delas são especulativas, mas acredito que ao escrever, interajo, criando a oportunidade para que outros mostrem meus tremendos erros e também (por que não?), alguns acertos.

Posto que as argumentações contrárias ou favoráveis, calcadas no respeito e na real vontade de sempre estimular um ganho coletivo, sempre devem ser bem-vindas, não é mesmo?

Bem, visitando seu Blog, aproveito para deixar mais um curto comentário, desta vez sobre a reencarnação.

Realmente o assunto é polêmico, pois nossa razão não alcança qualquer encadeamento de idéias bastante sólido. Argumentações bem estruturadas em contrário, como você enfatizou quando comenta sobre a postura de outras doutrinas, somadas ao fato de que a nossa ciência bastante materialista não conclui amplamente o assunto, chego a entender que mesmo aos mais espiritualizados ou simpáticos às doutrinas espiritualistas, torna-se bastante complicado “jurar de pés juntos” que a reencarnação exista.

Infelizmente, outro ponto relevante nesta questão é falta do hábito de ler (sem restrições, é importante que se diga) opiniões, estudos, livros, etc que combatam ou procuram evidenciar a continuidade do espírito em adquirir nova vestimenta densa.

Cheguei a vascilar algumas vezes, ora dando-me o direito à duvida, ora confirmando com algum júbilo dissertações que pareciam clarear meu entendimento. No fim, como que procurando “voltar a fita”, procurei buscar a precaução. Precaução de não me aceitar passiva e exclusivamente posições doutrinárias, nem opiniões alheias…

Rememorei, contudo, fatos que vez ou outra ocorreram em minha vida, época em que me orientava pela religião católica (comum em minha família por gerações) e percebi que os havia “engolido sem digeri-los” pois a estranheza de tais fatos não teriam respostas nem na vida acadêmica e muito menos na doutrina que professava.

Enfim, saltei no tempo, tentando analisar os mesmos fatos, agora sob aquilo que compreendo da doutrina espírita e percebi que, neste intento, obtive algum sucesso.

Àquele exercício somei outros que se sucederam durante os anos em que já estava conhecendo a teoria espírita e, mesmo que tentasse desprezar muitas de suas definições, elas teimariam em se confirmar; validar.

De modo que em parte, por questões de fé, cada qual tem o direito, a sensibilidade própria de duvidar ou acreditar na reencarnação.
Comigo, não!

Mesmo sem poder explicar laboriosa, ou melhor, eloqüentemente os mecanismos pelo qual o fenômeno se dá, me vejo sereno ao afirmar que há reencarnação.

Pode acontecer, sugiro a todos, de procurarmos algumas confirmações ou respostas em nossa própria experiência de vida e para isto temos de procurar alargar a visão sobre todos os conhecimentos possíveis, com humildade.
*
*
***

54 Aquecimento Global

*

Aquecimento Global

O mundo já está sofrendo com o aquecimento global

Como é típico do seres humanos, o mundo acordou agora, um tanto atrasado, para o aquecimento global: no momento em que a água começa bater no joelho.

Literalmente. Basta ligar a TV e prestar atenção às notícias diárias: enchentes, expansão de desertos, incêndios provocados pela seca e nevascas fortíssimas.

Precisamos abrir os olhos, cobrar ações efetivas das autoridades e evitar danos maiores para nosso futuro.

Falando em conseqüências, no Brasil o cenário de mudanças climáticas é bem explícito:

* Atualmente, somos o quarto maior colaborador para o aquecimento global do mundo;
* O desmatamento da Amazônia é responsável por 75% da emissão brasileira de gases;
* Em 2070, nesse ritmo, a floresta amazônica poderá se transformar num grande cerrado.

***

Mas, além das conseqüências, é preciso cuidar também das causas! Por isso, vamos exigir a adoção de medidas contra o aquecimento global. Além do governo, você também pode contribuir fazendo a sua parte:

* Economize energia elétrica: não guarde alimentos quentes na geladeira, use lavagem a frio na máquina de lavar, troque lâmpadas incandescentes por fluorescentes;
* Dispense sempre que puder os saquinhos plásticos, e quando não for possível, reutilize-os para armazenar o lixo;
* Separe os materiais recicláveis e incentive a coleta seletiva no seu condomínio, bairro ou cidade;
* Use sempre materiais de limpeza biodegradáveis;
* Ao comprar produtos de madeira, verifique sempre a origem e exija o selo FSC;
* Peça e ofereça carona, além de divertido, você contribui para diminuir a poluição.
*
Fonte: http://www.greenpeace.org.br/
*
Colaboração: Ubirajara Idoeta Cará – São Paulo-SP – Brasil
*
*
***