52 Memória

*

Memória

Você tem alguma reclamação a respeito da sua memória?
Você tem uma memória normal?
Você tem uma memória acima da média?
Você tem conhecimentos sobre a memória?
Você tem capacidade para memorizar quantidades de itens?
Você tem condições de ajudar neste assunto memória?
Você tem endereços de sites que falem sobre a memória?

Visite estes sites:

http://www.anaalvarez.com.br/
http://www.anaalvarez.com.br/links/links.htm
http://www.supermemoria.com.br/
http://www.supermemoria.com.br/links.html
http://www.harrylorayne.com/
http://www.peakperformancetraining.org/sitefiles/index.htm
http://www.peakperformancetraining.org/sitefiles/books.htm
https://www.memoryschool.com/default.aspx
http://www.memoryschool.com/Default.aspx?tabid=43
http://www.memoryschool.com/Default.aspx?tabid=27
http://www.oficinacriativa.com.br/site/scripts2/home.asp
http://www.oficinacriativa.com.br/site/scripts2/ocerebro.asp
http://www.oficinacriativa.com.br/site/scripts2/testecerebral.asp
http://www.oficinacriativa.com.br/site/scripts2/desenhando.asp
http://www.oficinacriativa.com.br/site/scripts2/consulta.asp
http://www.oficinacriativa.com.br/site/scripts2/duvidas.asp
http://sinapseslinks.blogspot.com
http://www.bbc.co.uk/portugue¬se/ciencia/story/2004/01/040109_memoriaebc.sht¬m
http://noticias.uol.com.br/bbc/2006/04/02/ult2282u1194.jhtm
http://www.bbc.co.uk/portugue¬se/ciencia/030124_memoriaebc.sht¬ml
http://www.epub.org.br/
http://www.estadao.com.br/ciencia/noticias/2006/mar/31/321.htm
http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=663512&div_id=291
http://www.comciencia.br/reportagens/memoria/14.shtml

*
Amigo visitante:
Sua participação e colaboração é importante.
Critique, opine, escreva-me.
Muito obrigado,
Fraternalmente,
Leal – ep-leal@uol.com.br
Aprendiz em todas as instâncias da Vida.
*
*
***

Anúncios

52 As Escolhas das Crianças

*

As escolhas das crianças
Rosely Sayão

Hoje (15out2006) é comemorado o Dia da Criança.

Quase todos os pais não resistiram à tentação: compraram brinquedos e outros presentes e agendaram programas diferentes para fazer com os filhos.

A reação das crianças não será surpresa para os pais. Muitas delas,
inclusive, já haviam feito seus pedidos com a devida antecedência. E é
justamente para provocar essa reação esperada que os pais sucumbem aos
apelos do comércio. Afinal, quem não quer ver seu filho feliz, agradecido e
Entretido com o novo brinquedo ou a programação familiar especial?

Tudo isso ocorrerá hoje (15out2006), mas os pais também já sabem que essas emoções da criança terão vida curta. Em algumas horas ou dias, o filho estará novamente como estava antes de ganhar os mimos de hoje. Por isso, vamos além neste dia: vamos reservar alguns minutos do nosso tempo para refletir a respeito da infância nos tempos de hoje.

Não é fácil ser criança no mundo atual.

O mundo adulto pressiona o infantil de todos os lados. As peças publicitárias tratam as crianças como se elas fossem gente grande -esperam que saibam e que possam decidir o melhor para si. E o melhor, nesse caso, é consumir o que eles oferecem. Mais do que consumir determinado produto, trata-se de consumir um estilo de viver.

Assim, logo elas aprendem a gostar das músicas que devem gostar, a se
comportarem de um determinado jeito, a vestir certo estilo de roupa etc. As
crianças são tão suscetíveis que, além de se encantar com quase tudo o que
se destina a elas, também ficam atraídas por aquilo que é ofertado ao adulto
e chegam a convencer os pais a consumir itens ou marcas.

Por causa da oferta de consumo, a criança é pressionada a ser de um
determinado modo. E, para ela, isso tem um sentido muito maior do que apenas ter algo. Defender-se desses apelos é coisa para adulto -as crianças estão
totalmente submetidas a essas exigências e não conseguem, sozinhas, escapar.
Mas não é apenas o consumo que empurra as crianças para o mundo adulto. As
notícias, as explicações, as análises, o erotismo, o tipo de humor, a
aparência do corpo, o modo de se relacionar com os outros, a agressividade,
a competição, tudo o que tem relação com os adultos atinge também as
crianças e as influencia.

Não é possível mudar o mundo, pelo menos não em um curto espaço de tempo.

Isso quer dizer que é neste mundo mesmo que as crianças viverão a infância.
Mas talvez seja possível protegê-las da parte mais pesada dessa avalanche. O
mais difícil para os pais é diferenciar o que chegará às crianças
inevitavelmente daquilo que elas ainda podem ser poupadas. Há boas razões
para essa dificuldade, e talvez a principal seja justamente a idéia de
infância que temos hoje.

Qualquer educador -pais, principalmente, mas professores também- acredita
que deve incentivar as crianças a fazer escolhas.

Ocorre que, ao fazer uma escolha, a criança só pensa naquilo que quer de
imediato. Ela ainda não consegue avaliar situações, fazer previsões e
considerar conseqüências. E mais: a criança não é livre para escolher. Ela
está submetida a alguma força, interna ou externa, que a faz caminhar em
determinada direção, e seu campo de visão é restrito.

Por isso, quando ela “escolhe” algo, na verdade apenas se submete a essas
forças, e, quando essa “escolha” é validada pelo adulto, seu aprisionamento
é reafirmado.

Criança só deveria ser livre para brincar e pensar a seu modo. Garantir essa
liberdade de ser criança ainda é possível, mesmo neste mundo.
*
“Educar é encher de sentido cada ato da vida cotidiana”
(Paulo Freire)
*
Colaboração: Irenita Forster – São Paulo-SP – Brasil
*
*
***